Remodelações Em 13 de Abril: Salazar assume a pasta da defesa, em substituição de Botelho Moniz;. Mário Silva no exército, tendo como subsecretário Jaime da Fonseca e com um novo CEMGFA, Gomes de Araújo; Adriano Moreira na pasta do ultramar, substituindo Lopes Alves (até 4 de Dezembro de 1962). Aquele que era acusado de ter pertencido ao MUD e que chegou a estar preso em 1947, depois de acusar Santos Costa de homicida voluntário, já então era considerado pelos norte-americanos como um Salazar em novo e Jorge Jardim, seu futuro padrinho de casamento, fala num eficaz medicamento contra o terrorismo em Angola, o moreiromicida, enquanto os adversários o alcunham de Adriano Moreia. Se Deslandes o acusa de autocrático...tem a mania de demitir pessoas, já Mário Soares, depois de, através de uma subtil insinuação, o acusar de traição, na primeira edição de O Portugal Amordaçado, o irá ilibar nas posteriores edições portuguesas, depois de insistentes pedidos de Teófilo Carvalho Santos. Mas talvez ele apenas quisesse copiar o oportunismo do seu modelo castelhano: Manuel Fraga Iribarne, de quem se tornaria compadre. E acaba por executar um novo projecto, com um certo profissionalismo politológi co, nomeadamente pelo uso de um novo conceito de intelligence, a partir do Centro de Estudos Político-Sociais da Junta de Investigação do Ultramar e do ensaio de uma política de imagem, conseguida pelo uso televisivo das suas viagens de soberania a zonas de guerra.

Se Adriano Moreira chega a propor a criação de um governo autónomo para a Guiné e Cabo Verde e outros advogam a criação artificial de uma Cabinda independente, não faltam os que sugerem a entrega de uma base naval à China, em Mormugão. A heterodoxia também chega a entusiasmar Franco Nogueira que discute com Salazar a hipótese da entrega de Macau à China e de se dar a independência à Guiné e a São Tomé e Príncipe. Só que, enquanto os dignitários lançavam estes cenários, os soldados e os povos iam morrendo e a propaganda transformava os políticos ministerialmente instalados em patrióticos heróis, ao mesmo tempo que os oposicionistas eram condenados por traição.

Em 4 de Maio: Santos Júnior no interior; Gonçalves Proença nas corporações; Lopes de Almeidaö na educação; Alberto Marciano Gorjão Franco Nogueira (n. 1918) nos estrangeiros.

Em 14 de Junho: Correia de Oliveira passa a ministro de Estado; surgem novos secretários de Estado das pastas económicas (Mota Campos na agricultura; Carvalho Fernandes na indústria e Dias Rosas no comércio)

 

Projecto CRiPE- Centro de Estudos em Relações Internacionais, Ciência Política e Estratégia. © José Adelino Maltez. Cópias autorizadas, desde que indicada a origem. Última revisão em: 31-03-2009