Governo de Sabrosa (1839)

 

 

1839 Do último governo setembrista (Sabrosa) ao ministério da transição

 

Governo nº 14, do barão da Ribeira de Sabrosa, Rodrigo Pinto Pizarro, desde 18 de Abril (223 dias). Considerado o último governo do setembrismo propriamente dito. Segundo Martins Canaveira, o gabinete é criticado pelos moderados históricos, odiado pelos setembristas radicais … e carecido da confiança do trono. Os setembristas logo clamam contra a influência inglesa, as manobras de Dietz e os manejos de Rodrigo da Fonseca. A oposição institucional cartista, ligada aos moderados do setembrismo, considera ser possível conquistar o regime por dentro, através do exercício governamental, da emergência de um grupo parlamentar ordeiro e da consequente ratificação eleitoral.

Sabrosa ocupa as pastas da guerra, da marinha e dos estrangeiros. Silva Sanches (presidente da Relação de Lisboa) no reino. João Cardoso da Cunha Araújo e Castro Portocarrero (juiz do Supremo) na justiça. Manuel António Carvalho, Chanceleiros, mantém-se na fazenda.

Em 25 de Setembro: Francisco Aguiar Otolini na marinha.

 

  Governo anterior

Governo posterior  

 

Governo de Rodrigo Pinto Pizarro, barão de Sabrosa

De 18 de Abril de 1839 a 26 de Novembro de 1839.

 

5º governo setembrista

 

·Sabrosa ocupa as pastas da guerra, da marinha e dos estrangeiros.

 

· Silva Sanches (presidente da Relação de Lisboa) no reino.

 

· João Cardoso da Cunha Araújo e Castro Portocarrero (juiz do Supremo) na justiça.

 

 

· Manuel António Carvalho, Chanceleiros, mantém-se na fazenda[1].

·Segundo Canaveira, era criticado pelos moderados históricos, odiado pelos setembristas radicais … e carecido da confiança do trono (op. cit., p. 83). Segundo Lacerda, os setembristas logo clamam contra a influência inglesa, as manobras de Dietz e os manejos de Rodrigo da Fonseca.

·Em Agosto de 1839, Palmerston apresentou um bill para a supressão do tráfico da escravatura. Foi aprovado nos Comuns e rejeitado na Câmara dos Lordes, por oposição de Wellington, para quem se Portugal se sujeitasse à legislação britânica deixaria de ser uma nação independente[2]. Sabrosa, em 26 de Fevereiro, em plena sessão do Senado chamara aos ingleses bêbados e devassos.

Em 25 de Setembro de 1839

 

· Francisco Aguiar Otolini na marinha.

·O governo, considerado o último que se instituiu inteiramente com elementos do partido setembrista, pediu a demissão, depois do governo britânico ter decidido controlar a navegação portuguesa ao sul do Equador, por causa do tráfico dos escravos.

 

 

 


 

[1] Lacerda, pp. 71 ss.

[2] Lavradio, II, pp. 140 ss.

 

Projecto CRiPE- Centro de Estudos em Relações Internacionais, Ciência Política e Estratégia. © José Adelino Maltez. Cópias autorizadas, desde que indicada a origem. Última revisão em: 31-03-2009