Católicos – No plano de organização dos católicos, destaque para a introdução do Movimento por um Mundo Melhor, e para a criação dos Cursilhos de Cristandade, que constituem uma espécie de alternativa à Acção Católica, quando já mostra uma certa pujança o Opus Dei, aqui chegado em 1958, sobretudo a partir da Editorial Aster e da revista Rumo que chegam a ser dirigidos pelo poeta Ruy Belo. Não tarda que surjam os Casais de Santa Maria, 1963. os Focolares, 1966, e o Renovamento Carismático, 1967, bases em que se fundará um movimento social-cristão que, pela primeira vez, desde 1820, não entrará em directo conflito com a maçonaria. Bem pelo contrário: a respectiva facção esquerdista tanto se aliará aos comunistas como receberá o apoio dos próprios maçons, opondo-se a um regime que havia sido conformado pela ideologia e pela liderança do Centro Católico Português que assim vê perder a sua fundamental base ideológica de apoio. Mas para cair ainda era preciso que o situacionismo perdesse o pé militar, o que só acontecerá depois de treze anos de guerra colonial.