|| Governos || Grupos || Eleições || Regimes || Anuário || Biografias ||

  Movimento Democrático para a Libertação de Portugal (1975)


A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z

O Movimento Democrático para a Libertação de Portugal é formalmente constituído em 5 de Maio de 1975. A presidência cabe a António de Spínola. No directório, Dias Lima, responsável pelo Estado Maior; Santos e Castro, pelo Ultramar; Alpoim Galvão pelo sector operativo; no sector político, José Miguel Júdice, Fernando Pacheco de Amorim e José Valle de Figueiredo.

No chamado Verão Quente de 1975, leva a efeito acções violentas contra partidos de esquerda.

É atribuída a este movimento a autoria moral e material do atentado que, em Abril de 1976, vitimou o Pe. Maximino de Sousa, destacado militante da UDP, e a estudante Maria de Lurdes.

Projecto CRiPE- Centro de Estudos em Relações Internacionais, Ciência Política e Estratégia. © José Adelino Maltez. Cópias autorizadas, desde que indicada a origem. Última revisão em: 03-05-2007