|| Governos || Grupos || Eleições || Regimes || Anuário || Biografias ||

  MUNAF (1943)


A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z



Movimento de Unidade Nacional Anti-fascista (1943)

MUNAF. Organização clandestina presidida por Norton de Matos, surgida em Dezembro de 1943.  Influência deciva do PCP que em Fevereiro desse ano, através de um Manifesto à Nação, emitido pelo comité central, propôs a constituição da unidade nacional de todas as organizações, grupos e individualidades antifascistas e patrióticas, visando o derrube do governo de Salazar e a instauração de um Governo Democrático de Unidade Nacional.  Dotado de um conselho nacional, de uma comissão executiva e de Comissões de Unidade Nacional (CUN). Os membros da comissão executiva são Piteira Santos, Bento de Jesus Caraça, Jacinto Simões, José Magalhães Godinho, Moreira de Campos, Francisco Ramos da Costa e Manuel Serra. No conselho nacional, está Álvaro Cunhal, Dias Amado e Bento de Jesus Caraça. No Comité Regional de Lisboa, José Magalhães Godinho, Manuel Mendes e Inácio Fiadeiro. No Comité Regional do Porto, Mário Cal Brandão, Azeredo Antas, António Veloso, Veiga Pires e Jorge Delgado. Cria em 1944 os GAC, Grupos de Acção e Combate. Nesse mesmo ano, em Junho, fiado que a vitória dos Aliados derrubaria automaticamente o salazarismo, cria um Programa de Emergência do Governo Provisório.

Projecto CRiPE- Centro de Estudos em Relações Internacionais, Ciência Política e Estratégia. © José Adelino Maltez. Cópias autorizadas, desde que indicada a origem. Última revisão em: 03-05-2007