|| Governos || Grupos || Eleições || Regimes || Anuário || Biografias ||

  Opções Inadiáveis (1978)


A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z

Opções Inadiáveis (1978)

 

Em 2 de Junho de 1978, durante o governo PS/CDS. 42 dos 73 deputados do PSD e várias outra figuras do partido subscrevem o documento PSD: Opções Inadiáveis, reafirmando a opção social-democrata e a necessidade de se manter o pedido de filiação na Internacional Socialista, criticando a liderança de Francisco Sá Carneiro. Entre os subscritores, os fundadores Magalhães Mota e Pinto Balsemão, bem como Jorge Miranda, Guilherme d’Oliveira Martins, Joaquim Lourenço, José Alfaia Pinto Pereira, António Sousa Franco, Figueiredo Dias, Sérvulo Correia, Rui Machete, Cunha Leal, Furtado Fernandes, Marques Mendes, Costa Andrade, Nandim de Carvalho, António Rebelo de Sousa. Na altura fala-se no presidencialismo de Ramalho Eanes, criticado também pelo socialista Manuel Alegre que se assume contra a hipótese de um novo MFA de direita, a partir do general Ramalho Eanes que, em visita a Washington do Presidente Carter, nega querer assumir o presidencialismo.

Projecto CRiPE- Centro de Estudos em Relações Internacionais, Ciência Política e Estratégia. © José Adelino Maltez. Cópias autorizadas, desde que indicada a origem. Última revisão em: 03-05-2007