Partido Renovador Democrático (1985)


A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z

Partido Renovador Democrático (1985)

Surge em 23 de Fevereiro de 1985, pouco antes de Eanes convocar eleições antecipadas (27 de Junho). Obtém 18% dos votos nas eleições de 6 de Outubro de 1985. Apoia a candidatura presidencial de Salgado Zenha, contra Mário Soares. Em 19 de Outubro de 1986, Ramalho Eanes assume a presidência do partido. O partido apresneta moção de censura ao governo de Cavaco Silva em 3 de Abril de 1987, antes do novo presidente, Mário Soares, dissolver a Assembleia da República (28 de Abril). Nas eleições de 19 de Julho de 1987 desce para 4,9%. Na convenção de 29 de Maio de 1987, Eanes demite-se, sucedendo-lhe Hermínio Martinho. Em 2 de Junho de 1991 Pedro Canavarro assume a liderança de um partido quase moribundo, com expressão eleitoral mínima.
O contínuo definhamento do PRD culminaria, já em finais da década de 90, com a sua aquisição por um grupo de extrema-direita que, mutatis mutandis, viria a apresentar listas nas Autárquicas de 2001 sob a designação de Partido Nacional Renovador.

●Surge em 23 de Fevereiro de 1985, pouco antes de Eanes convocar eleições antecipadas (27 de Junho). Obtém 18% dos votos nas eleições de 6 de Outubro de 1985.

●Apoia a candidatura presidencial de Salgado Zenha.

●Em 19 de Outubro de 1986, Ramalho Eanes assume a presidência do partido. O partido apresenta moção de censura ao governo de Cavaco Silva em 3 de Abril de 1987, antes do novo presidente, Mário Soares, dissolver a Assembleia da República (28 de Abril de 1994). Nas eleições de 19 de Julho de 1987 desce para 4,9%. Na convenção de 29 de Maio de 1987, Eanes demite-se, sucedendo-lhe Hermínio Martinho. Lançado o PRD na Convenção de Tróia (23 de Fevereiro de 1985). Surge pouco antes de Eanes convocar eleições antecipadas (27 de Junho). Obtém 18% dos votos nas eleições de 6 de Outubro de 1985. Apoia a candidatura presidencial de Salgado Zenha, contra Mário Soares. Em 19 de Outubro de 1986, Ramalho Eanes assume a presidência do partido. O partido apresenta moção de censura ao governo de Cavaco Silva em 3 de Abril de 1987, antes do novo presidente, Mário Soares, dissolver a Assembleia da República (28 de Abril). Nas eleições de 19 de Julho de 1987 desce para 4,9%. Na convenção de 29 de Maio de 1987, Eanes demite-se, sucedendo-lhe Hermínio Martinho. Em 2 de Junho de 1991, o partido passa a ser liderado por Pedro Canavarro. Emitido o manifesto Para um aprofundamento da democracia (15 de Março de 1983). Subscrevem-no Henrique de Barros, Medeiros Ferreira, Manuela Silva e Maria de Lurdes Pintasilgo. Trata-se de uma espécie de apelo à intervenção de Eanes no espaço partidário. Eanistas promovem em Coimbra um encontro comemorativo da reeleição do General (15 de Janeiro de 1984). O presidente declara não ser co-reponsável pela actuação do governo e abre a porta à criação de um novo partido. Encontro de eanistas em Tomar, onde se proclama a frustração face à não concretização das esperanças do 25 de Abril (6 de Maio de 1984). Anuncia-se a formação de um partido eanista, na sequência de reunião de 120 apoiantes do presidente, ocorrida em Abrantes (30 de Junho de 1984). Ramalho Eanes admite, finalmente, que poderá formar um partido político, mas apenas depois de completar o mandato presidencial (9 de Dezembro de 1984). Assembleia da República aprova moção de censura do PRD ao governo de Cavaco Silva (3 de Abril de 1987).

●Convenção do PRD; demissão de Eanes e eleição de Hermínio Martinho para a presidência (29 de Maio de 1988). Hermínio Martinho demite-se da liderança do PRD (17 de Janeiro de 1990).

●Pedro Canavarro, presidente do PRD na V Convenção do partido, rejeitando a respectiva extinção (2 de Junho de 1991).

Projecto CRiPE- Centro de Estudos em Relações Internacionais, Ciência Política e Estratégia. © José Adelino Maltez. Cópias autorizadas, desde que indicada a origem. Última revisão em: 03-05-2007