Revolta da Contra-Martinhada (1820)  

 

Em 17 de Novembro, contra-golpe. Fernandes Tomás, São Luís e Silva Carvalho regressam ao poder. Desterro de Gaspar Teixeira, António da Silveira e Sá Nogueira. Não se adopta a totalidade da Constituição de Cádis, mas apenas as respectivas instruções eleitorais. São Luís, segundo o testemunho de Fronteira, rodeou-se, desde logo, de tudo quanto havia de mais monárquico no partido constitucional, pelo que se reuniu com Palmela, com Alexandre de Morais Sarmento, futuro visconde de Banho, e com D. José de Sousa Botelho, futuro conde de Vila Real. Palmela estava em Lisboa, vindo de Londres, em trânsito para o Rio de Janeiro, para assumir as funções de ministro dos estrangeiros, e Sousa ia para Londres substituir Palmela.