Crise universitária (Abril e Maio)

Bernardino Machado é demitido como professor aposentado da Universidade de Coimbra (23 de Abril).

 

Estudantes do Instituto Superior do Comércio e do Instituto Industrial e Comercial do Porto hasteiam no edifício da escola uma bandeira vermelha, enquanto decorre uma greve às aulas em toda a Universidade do Porto (28 de Abril). À tarde realiza-se uma assembleia-geral dos estudantes da academia nas instalações da faculdade de medicina, que é interrompida pela polícia. Na confusão, dá-se uma acidental queda colectiva, a partir de um varandim, falecendo o estudante João Martins Branco

 

Greve revolucionária dos estudantes universitários de Lisboa, leva a incidentes na faculdade de medicina, com intervenção policial. Secundam o movimento estudantes de direito, letras, farmácia e veterinária (29 de Abril). O protesto alastra a Coimbra, enquanto no Porto decorre uma imponente manifestação no decorrer dos funerais do estudante acidentado

 

Incidentes em Lisboa e Coimbra no 1º de Maio. Surgem manifestos de um grupo dito Estrela Vermelha. Em Coimbra, está prevista uma assembleia-geral do professores para tratamento de assuntos pedagógicos, com movimentação de estudantes republicanos. Ministro demite equipa reitoral em exercício liderada por Luís Carrisso, e encerra a Universidade. Nomeada reitor o professor de medicina João Duarte de Oliveira, com Luís Cabral de Moncada, como vice-reitor