|| Governos|| Grupos|| Eleições|| Regimes|| Anuário|| Classe Política

  Anuário de 1873

1873

 

República em Espanha, Antero nos Açores e dois bancos por mês

Opulência e sonhos ridentes

arquivo antigo do anuário CEPP

·República em Espanha (Fevereiro)

República em Espanha até 1874, quando se dá o regresso dos Bourbons

Desagregação atomística – Sem os partidos fortes, único motor capaz de imprimir um jogo tão regular às engrenagens do regime constitucional como o que existe na Bélgica e na Inglaterra, achamo-nos quase no estado atomístico de Hegel, na desagregação em virtude da qual cada molécula social, entregue por sua desgraça à liberdade quase absoluta, volteia às cegas em busca de um novo centro de atracção (Ramalho Ortigão).

Absolvidos os implicados na pavorosa. José Baptista de Andrade (1819-1902) é nomeado governador de Angola, por causa da questão dos Dembos.

Liberalismo ou socialismo? O liberalismo começa por negar o método científico do socialismo, a síntese antes da análise, a concepção ideal, que nas ciências práticas e, sobretudo nas sociais, é sempre uma abstracção... uma generalidade, uma não realidade, concluindo que cada vez me convenço mais da utilidade do socialismo como crítica e da sua inutilidade como teoria constituinte (Alexandre Herculano em carta a Oliveira Martins).

A avidez pelo poder – Nos últimos anos temos tido assim quarenta ministérios. Os ex-ministros constituem pequenas dinastias de pretendentes constantemente ávidos de poder (Ramalho Ortigão).

Históricos – Surge um novo órgão do partido histórico O País, em lugar da anterior Gazeta do Povo (1 de Janeiro)

Os partidos acabaram – Em Portugal os partidos acabaram há muitos anos. Não existem divergências de opinião sobre qualquer princípio capital que interesse ao país inteiro. Como o interesse do país desapareceu, a urna fica entregue ao arbítrio da autoridade, e os círculos eleitorais convertem-se em burgos podres. Os regeneradores com os cabos de polícia elegem a maioria, os grandes proprietários com os seus caseiros e os seus amigos votam nas oposições. A vontade popular é muda e passiva... (Ramalho Ortigão).

 

Proclamada a República em Espanha, depois de Amadeu de Aosta ter renunciado (16 de Fevereiro). Em 1 de Junho a nova constituição estabelece uma república federal e dez dias depois Francisco Pi y Margall (1824-1901) é eleito presidente, exercendo o cargo apenas durante uma semana, face ao desencadear da revolta cantonalista. Segue-se Emílio Castelar a comandar uma república centralizada, em nome da manutenção da ordem (8 de Setembro).

Empréstimo interno – O ministro da fazenda, António Serpa, não recorrendo, como habitualmente aos banqueiros britânicos, consegue um empréstimo nacional para a consolidação da dívida flutuante, havendo uma inevitável valorização dos títulos. Como observa Joaquim de Carvalho, a abundância de dinheiro, a facilidade do crédito, a sensação de confiança, o espírito de empresa, movimentando o capital, deram ao País uma aura fugaz de prosperidade, de trabalho e de alegria.

A crise do modelo representativo – O sistema representativo tem sido sempre, por toda a parte, considerado como uma forma de transição entre a condenação da monarquia absoluta e o advento da soberania popular. Ora é bastante duro obrigar um povo ou uma parte de um povo a conservar-se eternamente fiel a uma instituição interina (Ramalho Ortigão).

Antero de Quental vai para S. Miguel, por causa da morte do pai. Oliveira Martins abandona Espanha (Abril).

& Agostinho, José (III): 284, 285, 286; Carvalho, Joaquim de (História de Portugal, edição de Barcelos, VII): 404, 405; Ferreira, Joaquim (Memórias de Camilo): 407; Lima, Sebastião de Magalhães (I): 48, 49, 50, 85; Martins, F. A. Oliveira (1960): 56, 141; Nogueira, César (1966): 180; Oliveira, Lopes de: 27; Ortigão, Ramalho (As Farpas, IV): 112, 113, 114, 115, 122; Serrão, Joel (Alexandre Herculano...): 120 ss.