© José Adelino Maltez, Crónica do Pensamento Político, editada em Dili, na ilha do nascer do sol, finais de 2008

 

 

                

1121: Fernão Peres de Trava

 

 

1120 1121   1122 1123 1124 1125 1126 1127 1128 1129

 

Século XI Linha do Tempo    Século XIII

  D. Urraca, rainha de Leão e Castela (1109)

Luís VI, le Gros  rei de França(1108-1137)

Henrique I, Beauclerc, rei inglês (1100-1135)

 
 

Surgem os almóhadas, os que acreditam na unidade divina (el-mowahhidun), também ditos  unitaristas.

Revolta do Saxe.

Rei David III da Geórgia vence os Turcos Seljúcidas na batalha de Didgori (14 de Agosto). Conquista Tiflis em 1122, transformando a cidade na sua capital 
Fernão Peres de Trava governa o Porto e Coimbra como conde e torna-se conselheiro de D. Teresa. Segundo Alexandre Herculano terá casado com ela, contrariando assim a habitual tese da mancebia. Fernão recebe a vila de Seia e os castelos de Coja e de Soure, em Maio de 1122.

Tropas de D. Urraca e de Diego Gelmírez invadem e saqueiam terras portucalenses.

Hostes de D. Teresa* invadem a Galiza. Um irmão de Fernão era o amante de Urraca. Ambos eram filhos do tutor de Afonso Raimundes.

Famílias mais poderosas do condado Portucalense abandonam apoio à cúria de Teresa (famílias de Sousa, Ribadouro, Maia e de Sancho Nunes de Barbosa). Posição idêntica assumem os bispos de Coimbra e do Porto.

Arcebispo de Braga, D. Paio Mendes, vai a Roma em Junho e consegue do papa reconhecimento dos direitos metropolíticos sobre as dioceses de Lamego, Viseu e Idanha. No regresso, é feito prisioneiro por D. Teresa. 
Primeira condenação de Pedro Abelardo.

Prisão do antipapa Gregório VIII.  
 

© Editado por José Adelino Maltez em Dili, Universidade Nacional de Timor Leste, ano de 2008

 

Última revisão:15-02-2009