© José Adelino Maltez, Crónica do Pensamento Político, editada em Dili, na ilha do nascer do sol, finais de 2008

 

 

1438: Morte de D. Duarte, regência de D. Leonor de Aragão

 

 

D. Leonor de Aragão

 

1428 1429 1430 1431 1432 1433 1434 1435 1436 1437 1438   1439 1440

 


 
  Século XIV  Linha do Tempo    Século XVI
 Carlos VII, le Victorieux, rei de França (1422-1461)

Henrique VI, rei de Inglaterra (1422-1461 e 1470-1471)

Jaime II da Escócia (1437-1460)

Branca I (1425-1446), rainha de Navarra. João II de Aragão (1425-1479), rei de Navarra.

 

Alberto II (1437-1439)

 

Afonso IV, o Magnânimo, rei de Aragão e da Sicília  (1416-1458)

 

Ingleses recomeçam a conquista da Guiena.

Pragmática Sanção de Bourges de Carlos VII (7 de Julho). Decreta a superioridade do concílio sobre o Papa e organiza a Igreja Galicana.

 

Alberto II, Habsburgo, arquiduque de Áustria, rei da Hungria e da Boémia (1438-1439). De18 de Março de 1438 a 27 de Outubro de 1439. Quarto na descendência de Alberto I.

Casado com Isabel da Boémia e Hungria, filha do Imperador Segismundo. Alberto, Alberto V, como duque da Áustria, era filho de Alberto IV, também duque da Áustria, morto em 1404.

 

 


 

Áustria Desde 1438, com Alberto I, que o Imperador alemão passa a ser quase sempre da casa dos Habsburgos. Com Maximiliano I (1493-1519) inicia-se um processo de alianças matrimoniais que tornarão o núcleo austríaco da dinastia numa das principais potências europeias, o que inspirou o dístico Bella gerant alii, tu, felix Austria, nube,/ Nam quae Mars aliis, da tibi regna Venus ("que os outros façam a guerra, tu, feliz Áustria, contratas casamentos /Porque os reinos que Marte dá aos outros, é Vénus que tos assegura"). De facto, foi em 1477 que Maximiliano casou com Maria da Borgonha, passando para a dependência dos Habsburgos quase todos os territórios borgonheses

 
Reinado de D. Duarte

Epidemia em Portugal.

Cortes de Leiria. Decide-se a não devolução de Ceuta, mantendo-se refém o Infante D. Fernando. Aprovado um Regimento do Reino

Os procuradores de Lisboa às cortes de 1438 proclamam que a nos somente pertence enleger rei.

 

 

Reinado de D. Afonso V, regência de D. Leonor.

Morte de D. Duarte (9 de Setembro)

D. Afonso V sobe ao trono. A regência começa por ser atribuída a D. Leonor de Aragão, sua mãe*

Revolução burguesa em Portugal, disfarçada em lutas pela regência entre o partido dos concelhos, liderado pelo infante D. Pedro, e o partido da rainha.

Cortes de Torres Novas. Decisão sobre a associação do infante D. Pedro à regência (Novembro). Aprovado um documento de compromisso e divisão de poderes, apresentado em 9 de Novembro, pelo Infante D. Henrique. O modelo será revogado em Dezembro de 1439, quando o infante D. Pedro se torna regente único.

 

Concílio de Ferrara-Florença (1438-1445). Os que permanecem em Basileia suspendem o papa Eugénio IV. O Concílio de obediência romana passa de Ferrara para Florença.

Nicolau de Cusa, representante do papa na Alemanha.
 
 

© Editado por José Adelino Maltez em Dili, Universidade Nacional de Timor Leste, ano de 2008

 

Última revisão:15-02-2009