© José Adelino Maltez, Crónica do Pensamento Político, editada em Dili, na ilha do nascer do sol, finais de 2008

 

 

 

1777: Lafayette, Necker e D. Maria I. A Viradeira

 

 

 

1769 1770 1771 1772 1773 1774 1775 1776 1777   1778 1779

 

  Século XVI  Linha do Tempo

 

Jorge III rei britânico (1760-1820)

 

Carlos III, rei de Espanha (1759-1788).

 

 
 
Washington* derrota os ingleses em Princeton (3 de Janeiro).

Lafayette chega com voluntários franceses à América (Abril).

Decisiva vitória dos independentistas na batalha de Branywine (11 de Setembro). Seguem-se as de Saratoga (19 de Setembro e 17 de Outubro).

Necker no poder em França (29 de Junho)

Aprovados os artigos da Confederação sobre a união perpétua dos Estados Unidos da América em 15 de Novembro. A primeira constituição norte-americana é envida para dos diferentes Estados para ratificação. Será completada em 1781.

Surge Le Journal de Paris, o primeiro quotidiano 

 

Reinado de D. José I

Morre D. José (23 de Fevereiro). Em 21 de Fevereiro perdoa ao bispo de Coimbra, D. Miguel da Anunciação, preso desde 1768. O bispo sai da prisão no dia 25.

Reinado de D. Maria I. Aclamação da rainha no Terreiro do Paço (13 de Maio).

Começa a viradeira. Novo governo em 14 de Março, com o marquês de Angeja na presidência do Real Erário e o visconde de Vila Nova de Cerveira, D. Tomás Teles da Silva, com a Repartição dos Negócios do Reino.

Apenas dois ministros de Pombal permaneceram no governo de D. Maria I: Martinho de Melo e Castro, ministro da marinha desde 1770, e Aires de Sá e Melo, ministro dos estrangeiros e da guerra. 

O primeiro, que tinha sido embaixador em Madrid em 1764-1775, era partidário de uma aproximação com Espanha.  O segundo advogava também uma aproximação com a Espanha e uma mais intensa relação com a França, a fim de quebrar a forte influência britânica em Lisboa.

Luís Pinto de Sousa Coutinho (1735-1804), o 1º visconde de Balsemão, é nomeado ministro da guerra e dos estrangeiros.

Ilibado José de Seabra da Silva (21 de Outubro). Permitido o seu regresso de Angola, onde estava degredado.

Pedro de Cevallos conquista Santa Catarina (20 de Fevereiro).

Colónia do Sacramento, sem luta, passa-se para as forças espanholas (20 de Maio).

 

Tratado S. Ildefonso ou dos Limites, sobre os territórios da América do Sul (1 de Outubro). Preliminar de paz e limites na América Meridional entre Dona Maria I e Carlos III de Espanha, em que este restitui a Ilha da Santa Catarina por cedência da Colónia de Sacramento (1 de Outubro).

Entra no Tejo a segunda Embaixada do sultão de Marrocos ao rei de Portugal (15 de Novembro)

Extinção da Junta das Fábricas do Reino, com a criação da Junta de Administração de Todas as Fábricas do Reino e Águas Livres (18 de Julho).

Restrições ao monopólio da Companhia do Vinho do Porto.

Novo Regimento das Mercês.

Abolido o monopólio da Companhia Geral do Grão-Pará e Maranhão.

O inglês William Bolts instala-se na foz do rio Maputo e na ilha da Inhaca, na baía de Lourenço Marques, com uma companhia de austríacos, antes da chegada dos portugueses. Só e 1780 lá chega um comerciante da ilha de Moçambique, Vitorino Gracias. Desembarca, depois, em 1781, uma companhia de soldados e acaba com o domínio dos austríacos da Companhia Asiática do Trieste. 
Francisco Manuel Trigoso de Aragão Morato (1777-1838)

 

Francisco Solano Constâncio (1777-1846).

 

Heinrich von Kleist (1777-1811).

 

Vittorio Amadeo Alfieri, Della Tirannide

 

Frederico II, Rei da Prússia, Essai sur les Formes de Gouvernement et sur les Devoirs des Souverains.

 

Ribeiro Sanches, Algumas Causas da perda de agricultura em Portugal, depois do ano de 1640. Apontamentos para promover toda a sorte de trabalhos em Portugal (manuscrito).

 
 

© Editado por José Adelino Maltez em Dili, Universidade Nacional de Timor Leste, ano de 2008

 

Última revisão:15-02-2009