1994

Da organização mundial do comércio ao limiar da esperança?

 

Cosmopolis

© José Adelino Maltez, História do Presente, 2006

Organização Mundial do Comércio. No processo de liquidação da Guerra fria, importa salientar a cimeira da NATO em Bruxelas, onde é aprovado o acordo de parceria para a paz, com o consequente congelamento da adesão dos países de Leste que a haviam requerido (10 de Janeiro), a fim da não se irritar uma Rússia, cuja Duma aprova amnistia geral sobre o golpe de Agosto de 1991 (26 de Fevereiro). O acordo entre a NATO e a Federação da Rússia, onde este Estado é reconhecido como potência europeia, internacional e nuclear maior, é assinado em 22-06, pouco depois de Soljenitsine regressar à pátria, depois de vinte anos de exílio (27 de Maio). Começa a segunda etapa da União Económica e Monetária e entra em vigor o Espaço Económico Europeu (01 de Janeiro), enquanto surge o acordo sobre a adesão à União Europeia da Áustria, Finlândia, Suécia e Noruega (30 de Março) e se fazem as quartas eleições para o Parlamento Europeu (9/12 de Junho). Acresce que, com o fim do Uruguay Round do GATT, institui-se a Organização Mundial do Comércio, na difícil caminhada para uma geo-economia regulada, assinando-se tal acordo em Marraqueche (16 de Abril). Entretanto Bill Clinton encontra-se com Ieltsine em Moscovo (13 de Janeiro), prometendo-lhe apoio financeiro para a transição.

Como atravessar o limiar da esperança? No ano da morte de Karl Popper, com o nosso comissário europeu, João de Deus Pnheiro a assumir a pasta da cooperação na comissão Santer (29 de Outubro) e José Cutileiro a ser eleito secretário-geral da UEO (10 de de Novembro), não reparamos na tentação imperial da Europa (Michel Pinton) e de pouco nos serve a obra de Norberto Bobbio sobre Destra e Sinistra, porque nos sentimos em tempo de end of isms (Aleksandzas Shtromas), com Pedro Santana Lopes a abandonar o governo (21 de Dezembro), depois de já terem saído dois dos seus subsecretários, António Sousa Lara e Maria José Nogueira Pinto. Quando Samir Amin reconhece que a etnia está a assaltar as nações, que se agrava o etnonacionalismo (Walker Connor) e há, cada vez mais, um Estado-Estratega (Bauby e Boual), importa defender a diversidade (Foster e Herzog), para se atravessar o limiar da esperança (João Paulo II). O arquitecto João Rosado Correia é eleito grão-mestre do Grande Oriente Lusitano, exercendo tais funções até1998.

 
1994

Guerra das portagens, soarismo no bloqueio e tabu de Cavaco

Renúncia de Cavaco, vitória eleitoral do PS de Guterres e CDS a tornar-se Partido Popular

Windows 95

Fim do cavaquismo e do soarismo

Desordem internacional

 

1994
 

Entra em vigor o Espaço Económico Europeu

Crise dos Grandes Lagos e genocídio no Ruanda

Começo da segunda etapa da União Económica e Monetária

Começa o processo Craxi, em Itália

Acordo sobre a adesão à U.E. da Áustria, Finlândia, Suécia e Noruega

Assinatura do acordo para a instauração da OMC

Inaugurado o túnel sob a Mancha

Mandela toma posse como presidente da África do Sul

Posse do governo de Berlusconi em Itália

Federação da Rússia assina o acordo de parceria para a paz com a NATO

Fernando Henrique Cardoso vence as eleições no Brasil

Kohl vence as eleições na Alemanha

Chissano vence as eleições em Moçambique

Tropas russas iniciam a invasão da Tchetchénia

Organização Mundial do Comércio.

No processo de liquidação da Guerra fria, importa salientar a cimeira da NATO em Bruxelas, onde é aprovado o acordo de parceria para a paz, com o consequente congelamento da adesão dos países de Leste que a haviam requerido (10 de Janeiro), a fim da não se irritar uma Rússia, cuja Duma aprova amnistia geral sobre o golpe de Agosto de 1991 (26 de Fevereiro). O acordo entre a NATO e a Federação da Rússia, onde este Estado é reconhecido como potência europeia, internacional e nuclear maior, é assinado em 22-06, pouco depois de Soljenitsine regressar à pátria, depois de vinte anos de exílio (27 de Maio). Começa a segunda etapa da União Económica e Monetária e entra em vigor o Espaço Económico Europeu (01 de Janeiro), enquanto surge o acordo sobre a adesão à União Europeia da Áustria, Finlândia, Suécia e Noruega (30 de Março) e se fazem as quartas eleições para o Parlamento Europeu (9/12 de Junho). Acresce que, com o fim do Uruguay Round do GATT, institui-se a Organização Mundial do Comércio, na difícil caminhada para uma geo-economia regulada, assinando-se tal acordo em Marraqueche (16 de Abril). Entretanto Bill Clinton encontra-se com Ieltsine em Moscovo (13 de Janeiro), prometendo-lhe apoio financeiro para a transição.

Como atravessar o limiar da esperança?

No ano da morte de Karl Popper, com o nosso comissário europeu, João de Deus Pnheiro a assumir a pasta da cooperação na comissão Santer (29 de Outubro) e José Cutileiro a ser eleito secretário-geral da UEO (10 de de Novembro), não reparamos na tentação imperial da Europa (Michel Pinton) e de pouco nos serve a obra de Norberto Bobbio sobre Destra e Sinistra, porque nos sentimos em tempo de end of isms (Aleksandzas Shtromas).

Quando Samir Amin reconhece que a etnia está a assaltar as nações, agrava-se o etnonacionalismo (Walker Connor) e há, cada vez mais, um Estado-Estratega (Bauby e Boual), importa defender a diversidade (Foster e Herzog), para se atravessar o limiar da esperança (João Paulo II).

Balcãs

Agrava-se a crise jugoslava, com a NATO a lançar um ultimato a Belgrado, por causa da questão da Bósnia, iniciando ataques aéreos contra aviões sérvios e exigindo a retirada da artilharia sérvia dos arredores de Serajevo (28 de Fevereiro).

No fim do ano (19 de Dezembro), Jimmy Carter consegue um acordo de cessar-fogo com o líder sérvio Radovan Karadzic, em que os sérvios mantêm o controlo de 70% da Bósnia.

.

 

©  José Adelino Maltez, História do Presente (2006)

© José Adelino Maltez. Cópias autorizadas, desde que indicada a origem. Última revisão em: 23-04-2009