1999

Reformadores, terceira-via e mais de seis mil milhões de seres humanos

Cosmopolis

© José Adelino Maltez, História do Presente, 2006

A procura da terceira via – Realiza-se a cimeira anual do G8 em Colónia, Alemanha, onde os chefes de Estado e de Governo definem as prioridades para enfrentar os desafios do século XXI, nomeadamente o da globalização. (18 a 20 de Junho). Destaque também para a reunião cimeira do FMI, do Banco Mundial e do G8 em Washington (26 a 28 de Abril), que adopta o princípio de uma nova arquitectura financeira internacional. Outra é a cimeira de Florença dos chefes de Estado e de governo ditos reformadores que tentam definir o progressismo como resposta à nova economia (20 e 21 de Novembro). Blair e Schroeder lançam o manifesto A Terceira Via. O Novo Centro (8 de Junho), enquanto a conferência internacional da OMC em Seattle (30 de Novembro a 3 de Dezembro) dá lugar a grandes manifestações anti-globalizção. Polónia, República Checa e Hungria aderem à NATO (12 de Março), na véspera do cinquentenário da organização (23 a 25 de Abril) que, então, adopta um novo conceito estratégico. George Robertson é nomeado secretário-geral de tal entidade (4 de Agosto), enquanto o respectivo antecessor, o espanhol Javier Solana passa para Alto-Representante para a PESC (25 de Novembro), acumulando com as funções de secretário-geral da UEO, desde 18 de Outubro.

Guterres não vai para Bruxelas – No ano em que ultrapassámos os seis mil milhões de homens (11 de Outubro), entra em vigor o Tratado de Amsterdão (1 de Maio), numa revolução pacífica que vai das nações para a Europa (Mário Albertini). Dá-se a demissão da comissão europeia presidida por Jacques Santer (16 de Março) e, no Conselho Europeu de Berlim, há consenso quanto à designação de Romano Prodi (24 e 25 de Maio), chegando, antes, a ser sugerido o nome de António Guterres que opta por servir a pátria em Lisboa. A nova comissão, integrando o português António Vitorino, é investida pelo Parlamento Europeu em 14 de Setembro. Destaque para o lançamento oficial do euro. Alemanha, Áustria, Bélgica, Espanha, Finlândia, França, Irlanda, Itália, Luxemburgo, Países Baixos e Portugal adoptam-no como moeda oficial (1 de Janeiro). Entretanto, morre Vítor da Cunha Rego, o ex-militante do DRIL de Henrique Galvão, o ex-chefe de gabinete de Mário Soares, nos anos de 1974, feito embaixador de Portugal em Madrid em1977, que há-de ser um dos protagonistas da aproximação do PS aos norte-americanos, antes de ser um dos inspiradores da AD e, depois, do cavaquismo.

 
1999

A questão da Universidade Moderna e nova vitória eleitoral de Guterres

A procura da terceira via

Guterres não vai para Bruxelas

Marcelo Rebeleo de Sousa abandona a liderança do PSD, sucedendo-lhe Durão Barroso (Maio)

Vitória do PS nas eleições para o Parlamento Europeu que mobiliza Mário Soares para cabeça de lista (13 de Junho)

Eleição geral nº 73 com nova vitória do PS que fica a um deputado da maioria absoluta.


 

 

 

1999
 

Entra em vigor o tratado de Amsterdão

Aprovadas as paridades do euro

TPI acusa Milosevic de crimes contra a humanidade

Morte de Hassan II de Marrocos

NATO tem intervenção no Kosovo

 

 

Mensário

Janeiro
Nasce o euro e ultrapassamos os seis mil milhões de seres humanos

Fevereiro
Morte de Hussein e ataques curdos a embaixadas turcas

Março
Prodi apontado como sucessor de Santer em Bruxelas

Abril
G8 tenta domar a globalização

Maio
Acordo sobre Timor

Junho
Tempo de eleições: entre o Parlamento Europeu e a Indonésia

Julho
Gaullistas integram o PPE e Soares não ascende à presidência do PPE

Agosto
Putine no poder e Timor vota pela independência

Setembro
Entre o regresso de Sharon e o apoio da ONU a Timor

Outubro
O fenómeno Haider

Novembro
As ilusões da anti-globalização

Dezembro
Putine, o novo senhor de Kremlin

 

 

©  José Adelino Maltez, História do Presente (2006)

© José Adelino Maltez. Cópias autorizadas, desde que indicada a origem. Última revisão em: 23-04-2009