1982
 

Dezembro
Governo do PSOE e descompressão na Polónia

 

 

Governo do PSOE em Espanha, dirigido por Felipe González* (2 de Dezembro). O partido abandonara o marxismo em1979, quando também passou a apoiar a manutenção da monarquia.

Libertação dos prisioneiros políticos na Polónia (23 de Dezembro)

O Conselho Europeu reúne-se em Copenhaga. Define alguns objectivos prioritários nos domínios económico e social e reafirma o seu compromisso político em prol do alargamento (3 e 4 de de Dezembro)

Eleições autárquicas (12 de Dezembro). Partidos da AD com 41,8%. PS e UEDS com 31,8%. APU, 21%. UDP, 0,7%. As eleições são boicotadas em Vizela. Subida do PS, apesar da vitória da AD. Freitas do Amaral fala em desaire político para a AD.

Demite-se o ministro Marcelo Rebelo de Sousa que, a partir de então, deixa de ser o simples número dois do patrão do Expresso, passando a voar autonomamente para as culminâncias sistémicas da universidade, do partido e do país (9 de Dezembro)

Publicada a Lei de Defesa Nacional (15 de Dezembro). Influenciada pela acção dos ministros Freitas do Amaral e Marcelo Rebelo de Sousa. Há, na Assembleia da República, algum consenso com os socialistas, face à actuação da comissão de defesa, presidida pelo deputado Fernando Condesso

Balsemão demite-se de Primeiro-Ministro (19 de Dezembro). Convidado para presidir a novo governo da AD, Mota Pinto recusa. Eanes aceita o pedido de demissão de Balsemão (21).

Freitas do Amaral demite-se da presidência do CDS. PSD escolhe Vítor Crespo para suceder a Francisco Pinto Balsemão que vai à televisão declarar que passaria a dedicar-se inteiramente ao partido para pôr termo a traições de que foi vítima. Fugas de informação queimam a hipótese, nomeadamente quando o democrata-cristão de crença hindu, Narayane Kaissare, aparece indigitado como ministro da justiça (29 de Dezembro de 1982).

 

 

Janeiro Fevereiro Março
Abril Maio Junho
Julho Agosto Setembro
Outubro Novembro Dezembro

Ver síntese do ano

 

 

 

©  José Adelino Maltez, História do Presente (2006)

© José Adelino Maltez. Cópias autorizadas, desde que indicada a origem. Última revisão em: