Governo do Entrudo (1842)

 

 

1842  Restauração da Carta e cabralismo. Regime Cabralista

 

Governo nº 17 dito do Entrudo (3 dias) sob a presidência de Palmela (7 de Fevereiro de 1842). Palmela na presidência e nos estrangeiros. Joaquim António Magalhães no reino e interino da justiça no dia 7. Sá da Bandeira na guerra. António Luís Jervis Atouguia (1797-1861) 1º Visconde de Atouguia desde 1853, na marinha e ultramar. Joaquim Filipe Soure (n. 1805) nos negócios eclesiásticos e justiça (no dia 8).Ávila mantém-se na fazenda

 

  Governo anterior

Governo posterior  

 

Governo do Entrudo

De 7 a 8 de Fevereiro de 1842

 

 

· Palmela na presidência e nos estrangeiros  

 

· Joaquim António Magalhães no reino e interino da justiça no dia 7

 

· Sá da Bandeira na guerra

 

· Jervis Atouguia na marinha e ultramar

 

· Joaquim Filipe Soure nos negócios eclesiásticos e justiça (no dia 8)

 

· Ávila mantém-se na fazenda

 

·No dia 27 de Janeiro de 1842, restaurada a Carta no Porto, surgindo uma junta provisória de governo, com António Bernardo da Costa Cabral, barão da Ponte de Santa Maria. Marcelino Máximo de Azevedo e Melo e António Pereira dos Reis.

·Reunião de senadores em casa do duque de Palmela e de deputados em casa de Atouguia, protestando contra a restauração da Carta. 

·No dia 8 de Fevereiro a guarnição do castelo de S. Jorge saúda a restauração da Carta com uma salva de artilharia; segue-se um motim popular cartista


Projecto CRiPE- Centro de Estudos em Relações Internacionais, Ciência Política e Estratégia. © José Adelino Maltez. Cópias autorizadas, desde que indicada a origem. Última revisão em: 31-03-2009