© José Adelino Maltez, Crónica do Pensamento Político, editada em Dili, na ilha do nascer do sol, finais de 2008

 

 

1691: Nova guerra austro-turca

 

Inocêncio XII

 

1690 1691   1692 1693 1694 1695 1696 1697 1698 1699

 

   Luís XIV, rei de França

 

Guilherme III (1689-1702) e Maria II (1689-1694), reis ingleses

 

Carlos II, rei de Espanha (1665-1700)

 

Leopoldo I Habsburgo  (1658-1705)

 
 

Crise de colheitas na Europa (1691-1703). Subida do preço do trigo.

Tratado de Limerick, depois da batalha de Aughrim, marca a conquista final da Irlanda pelos ingleses (3 de Outubro).

Conquista da Sabóia e do condado de Nice por Catinat, ao serviço de Luís XIV

Nova guerra austro-turca. Vitória cristã na batalha Slankamen.

Ahmed II (1691-1695) sucede a Sulimão II (1687-1691), em Junho.

 

Reinado de D. Pedro II

Febre amarela no Brasil. Crise de fome.

 

Conflitos internos em Macau, com o governador e o bispo a tomaram o partido de Roma, enquanto o Senado e os jesuítas defendiam as especialidades do rito chinês.

 

Em 1691 já o Imperador da China fixava em 600 taéis o foro de chão a pagar por Macau, ordem que foi sempre cumprida até à chegada de Ferreira do Amaral. 
Papa Inocêncio XII (até 1700). O italiano Antonio Pignatelli. Eleito em 12 de Julho.

 

Jacob de Castro Sarmento (c. 1691-1762)  
 

© Editado por José Adelino Maltez em Dili, Universidade Nacional de Timor Leste, ano de 2008

 

Última revisão:15-02-2009