© José Adelino Maltez, Crónica do Pensamento Político, editada em Dili, na ilha do nascer do sol, finais de 2008

 

 

 

1762: Catarina II na Rússia

 

 

1759 1760 1761 1762   1763 1764 1765 1766 1767 1768 1769

 

   Século XVI  Linha do Tempo

 

Jorge III rei britânico (1760-1820)

 

 Luís XV, rei de França

 

Carlos III, rei de Espanha (1759-1788).

 
 

Pedro Fiodorovitch III*, imperador de 5 de Janeiro a 9 de Julho. Filho de Ana Petrovna e de um alemão, o príncipe Holstein-Gattorp.

Assume-se como um convicto luterano, ligado a Frederico II. Apoia a seita dos velhos crentes. Será assassinado por Aleksi Orlof, irmão de um amante da futura Catarina II.

Rússia e Suécia retiram-se da guerra contra a Prússia.

Tratado de São Petersburgo acaba com a Guerra entre a Rússia e a Prússia (15 de Maio).

Britânicos declaram guerra a Espanha e a Nápoles (4 de Janeiro).

Batalha de Wilhelmstal. Anglo-hanoverianos vencem os franceses (24 de Junho).

Governo britânico de John Stuart, Earl of Bute, de 26 de Maio de 1762 a Abril de 1763.

Catarina II, em 9 de Julho, sobe ao trono na Rússia (1762-1796). Casada desde 1745 com Pedro III.  Acaba a aliança russo-prussiana, mas a Rússia não regressa à Guerra.

Batalha de Burkersdorf (21 de Julho). Vitória de Fredrico II na sua última grande batalha.

Batalha de Freiberg (29 de Outubro). O irmão de Fredrico II, Henrique da Prússia derrota os austríacos.

Assassinato de Jan e Cornelis Witt em Haia (20 de Agosto).

Na Índia, grande holocaust dos Sikhs (5 de Fevereiro). Dizimadas cerca de 500 000 pessoas por Ahmed Shah Abdali no Punjab.

Britânicos conquistam Manila (10 de Agosto). 

 

Reinado de D. José I

Crise económica.

Embaixador francês Jacques O’Dunne chega a Lisboa (Fevereiro). Entrega declaração de guerra (25 de Abril).

Governo português não cede às pressões de Espanha e França que pretendiam que apoiássemos o Pacto de Família contra os ingleses.

Guerra Fantástica entre Portugal e Carlos III de Espanha  Dá-se a invasão de Portugal, pelo Nordeste, por tropas franco-espanholas que tomam Miranda em 9 de Maio

Em 20 de Julho de 1762 a França formaliza declaração guerra a Portugal

Auxílio inglês com o Conde Lippe, nomeado marechal-general em Julho.

Queda de Almeida em 25 de Agosto. Ocupação de Castelo Rodrigo.

Um exército anglo-luso, em Agosto, comandado por Burgoyne, ataca Valência.

Plenos poderes a Martinho de Melo e Castro para negociar o futuro tratado de 10 de Fevereiro de 1763 com a Espanha. (18 de Setembro)

No Outono, nova invasão de tropas franco-espanholas

Rendição da colónia do Sacramento a forças espanholas comandadas por Pedro de Cevallo (23 de Outubro). Armistício em 30 de Novembro

Tratado de Fontainebleau - Tratado preliminar entre Luís XV da França, Carlos III de Espanha e Jorge III de Inglaterra em que Portugal é compreendido (3 de Novembro)

Acto de acessão portuguesa ao Tratado de Fontainebleau de 3 de Novembro. (22 de Novembro)

Em 3 de Julho, chega a Lisboa o maçon conde Lippe, Friedrich Wilhelm Ernst, com a missão de reorganizar as nossas forças armadas.

Fundam-se, pelo menos, três lojas maçónicas, em Lisboa, Valença e Funchal.

Jesuítas expulsos de Macau.

Criação da Real Escola Náutica no Porto.

 
 

Rousseau publica em Amsterdão Le Contrat Social.

Jean-Jacques Rousseau, Lettres Écrites de la Montagne, Amsterdão, 1763-1764.

 

Rousseau, Emile. Obra publicada em Maio. Condenada no mês seguinte pela Sorbonne. O autor tem de fugir para Genebra, mas a obra também aí é condenada. Refugia-se, depois, em Neuchâtel.

Gaetano Filangieri (1762-1786)ö1780.

 

Johann Gottlieb Fichte (1762-1814)ö1796.

 

Cavaleiro de Oliveira, Le Chevalier d’Oliveyra brûlé en effigie.

 

Inácio Caetano Xavier, Notícias dos Domínios Portugueses na Costa da África Oriental.

Suspensão, por quinze anos, da Gazeta de Lisboa.
 

© Editado por José Adelino Maltez em Dili, Universidade Nacional de Timor Leste, ano de 2008

 

Última revisão:15-02-2009