© José Adelino Maltez, Crónica do Pensamento Político, editada em Dili, na ilha do nascer do sol, finais de 2008

 

 

1580: Cortes de Almeirim e Febo Moniz

 

 

1578 1579 1580   1581 1582 1583 1584 1585 1586 1587 1588 1589 1590

 

Século XV Linha do Tempo Século XVII
 

Henrique III, rei de França (1574-1589)

 

Isabel I, rainha de Inglaterra (1558-1603)

 

Jaime Stuart, como Jaime VI, rei da Escócia (1567-1625).

 

Filipe II, rei de Espanha (1556-1598)

 

Rudolfo II, Habsburgo, imperador alemão (1576-1612)

 

Frederico II (Frederik II), rei da Dinamarca (1559-1588).

 

João III, rei da Suécia (1569-1592).

 
Filipe II rei de Portugal. Herdei-o, comprei-o, conquistei-o. A partir de então, vai dizer-se: quando a Espanha mexe, a Terra treme. Uma década onde se confirma como a soberania vence a questão religiosa. Ou como o Estado  pode transformar-se numa religião secular, como o terceiro caminho entre o catolicismo e o protestantismo. Henrique de Navarra é o produto desta teoria, ou de como Paris vaut bien une messe. Sobe ao trono em 1589 e será assassinado em 1610. Converte-se ao catolicismo em 1593 e promulga o Edito de Nantes em 1589. Os neopolíticos pegam na ideia de reino e desenvolvem-na. O território passa a ser corps du Prince. O soberanismo não tarda a conduzir ao absolutismo.

Países Baixos Entre 1580 e 1590, sofrem a pressão terrestre das tropas espanholas estacionadas nas províncias do sul, mas frequentemente desviadas para intervenções em França.

Francis Drake completa uma viagem de circum-navegação (26 de Setembro).

 

Uma década onde se confirma como a soberania vence a questão religiosa. Ou de como o Estado  pode transformar-se numa religião secular, como o terceiro caminho entre o catolicismo e o protestantismo. Henrique de Navarra é o produto desta teoria, ou de como Paris vaut bien une messe. Sobe ao trono em 1589 e será assassinado em 1610. Converte-se ao catolicismo em 1593 e promulga o Edito de Nantes em 1589. Os neopolíticos pegam na ideia de reino e desenvolvem-na. O território passa a ser corps du Prince. O soberanismo não tarda a conduzir ao absolutismo. 

Carlos Emanuel I em Sabóia (1580-1630).

 

 Reinado do Cardeal D. Henrique

Cortes de Almeirim. Abrem em 11 Janeiro de 1580. D. António Pinheiro comunica o pensamento do rei sobre a solução do impasse, dado que hesita entre Filipe II e D. Catarina de Bragança. Destaca-se o procurador de Lisboa Febo Moniz contra a solução filipina. Este, nos termos da prática de 13 de Janeiro de 1580, quando o Cardeal-Rei teve uma entrevista com os procuradores do primeiro banco, diz querer resistir, não extinguir a nação, conservando este reino na liberdade em que os reis ... antepassados  ... o fizeram

O Cardeal está no leito da morte. D. Jerónimo Osório e outros grandes do reino, como Frei Bartolomeu dos Mártires e Frei Luís de Sousa, apoiam a solução filipina.

Morte do Cardeal-Rei (31 de Janeiro). As Cortes continuam reunidas até 15 de Março.

Cinco governadores do reino. Três partidários de Filipe II. Um neutral. Outro favorável a D. António. Em 30 de Abril, os governadores convocam o reino para Santarém.

Governadores do Reino a embaixada de Francisco Barreto a Roma, para expor ao Pontífice a aflitiva situação. Enviada a embaixada de D. Manuel de Portugal a Henrique III de França, para obter ajuda contra os propósitos de Filipe II (Abril)

Filipe II recebe os Embaixadores portugueses que procuram garantir a independência (5 de Maio).

Filipe II parte para Guadalupe (5 de Março). Em 1 de Julho emite proclamação para Portugal

D. António é aclamado rei em Santarém (23 de Junho), Lisboa, Setúbal, Porto, Braga, Coimbra e Bragança. Na reunião de Santarém, estão parte dos representantes do Terceiro Estado, numa reunião atípica das Cortes convocadas pelos governadores do reino em 30 de Abril.

Invasão Espanhola, do Duque de Alba, através de Elvas  e Vila Viçosa (18 de Julho). Os governadores do reino fogem.

Declaração dos três governadores do Reino, em Castro Marim, onde Filipe II é nomeado por Rey e Sõr natural nosso de todos os ditos Reynos E Sñorios da coroa de Portugal, como dereito o he E lhe pertence

Batalha de Alcântara (25 de Julho). Dura meia hora. Derrota dos independentistas.

D. António foge para o norte. Entra em Braga no dia 3 de Setembro e onquista Aveiro em 10 de Setembro. Foge para Viana da Foz do Lima em 22 de Outubro. Vive escondido no reino ate 10 de Maio de 1581 quando embarca de Setúbal, com destino a Calais, não acatando o conselho de D. Pedro da Cunha, capitão-mor de Lisboa, bisavô de D. Luís da Cunha, que lhe sugeriu a ida para o Brasil.

Enviado para Macau o primeiro agente estadual, o ouvidor.

Surto de peste.

Crise do açúcar em S. Tomé.

Doação de Nagasaqui aos jesuítas.

Paulo Dias de Novais estabelece-se em Macunde, Angola.

 

 
Fernão Mendes Pinto termina a redacção de Peregrinaçam, obra apenas publicada em 1614.

Garcia da Orta é condenado postumamente pelo Santo Ofício. Os ossos são desenterrados e queimados.

 

Morte de D. Jerónimo Osório.

 

Morte de Luís de Camões (10 de Junho). É enterrado numa campa rasa, numa das igrejas das proximidades da casa onde vivia, em Santana.

 

Francisco Velasco de Gouveia (1580-1659).

 

Francisco Rodrigues Lobo (c. 1580-1622).

 

MontaigneEssais.

 

Jean Bodin, Démonomanie des Sorciers.

 

Confessio Invariata, retoma o original da Confissão de Augsburgo de 1530. Base da fé luterana.

 

Nasce S. Vicente de Paula (1580-1660)  

 

 

© Editado por José Adelino Maltez em Dili, Universidade Nacional de Timor Leste, ano de 2008

 

Última revisão:15-02-2009