José Adelino Maltez, Crónica do Pensamento Político, editada em Dili, na ilha do nascer do sol, finais de 2008

 

 

 

1793: Execução de Luís XVI e guerra da primeira coligação

 

 

1790 1791 1792 1793   1794 1795 1796 1797 1798 1799 1800

 

  Século XVI  Linha do Tempo

 

Jorge III rei britânico (1760-1820)

 

Carlos IV, rei de Espanha (1788-1808)

 

 
 

Segunda partilha da Polónia (2 de Janeiro de 1793).

 

Revolução francesa: execução de Luís XVI* (21 de Janeiro).

França declara guerra à Grã-Bretanha, aos Países Baixos e à Espanha (1 de Fevereiro).

Tropas francesas derrotadas pelos austríacos que recuperam Liège (5 de Março).

Declarada a república de Mainz (18 de Março).

Fundação do Comité de Salvação Pública, no qual ingressa Robespierre (6 de Abril) o período do Terror, implementado pelo Partido único dos Jacobinos; prisão e execução de girondinos (2 de Junho).

Prisão e assassínio de Marat (13 de Julho); levantamentos realistas na Bretanha e na Vendeia; Robespierre decreta a liberdade de culto; instrução primária gratuita e obrigatória.

Aliados recuperam Mayence (23 de Julho). Britânicos ocupam a Córsega.

Festa da Unidade em Paris (10 de Agosto).

Decreto da conscrição universal (23 de Agosto).

Começa o terror na sua plenitude (5 de Setembro).

Exército britânico é derrotado nos Países Baixos (Setembro).

Abolido o cristianismo (5 de Outubro).

Execução de Maria Antonieta (16 de Outubro).

Derrota dos vendeianos em Cholet (20 de Outubro).

Começa a vigorar o calendário revolucionário (24 de Outubro).

Girondinos são guilhotinados (31 de Outubro).

Execução de Philippe Égalité (Novembro).

Franceses, com Bonaparte, conquistam Toulon (18 de Dezembro).

Franceses vencem em Weissenberg (26 de Dezembro). Obrigam a uma retirada dos aliados para além do Reno.

 

Fundado nos EUA o Distrito Federal (actual Washington).

 

 

Luto de 15 dias em Portugal pela morte de Luís XVI (Fevereiro). Portugal declara guerra à França (Maio).

Recomendações de Pina Manique (contra os ditos liberais)

Restauram-se e constroem-se fortalezas no ano em que Portugal decreta guerra à França e em que há corso aos navios portugueses por parte dos franceses.

Em 15 de Julho de 1793 é assinada uma convenção luso-espanhola de auxílio mútuo.

Em 26 de Setembro de 1793 é um tratado idêntico entre Portugal e a Inglaterra.  

Convenção provisional entre Dona Maria I e Carlos IV de Espanha, de mútua amizade e recíprocos socorros na guerra luso-francesa (15 de Julho).

Tratado entre Dona Maria I e Jorge III de Inglaterra, sobre mútuo auxílio contra a França. (26 de Setembro)

Portugal vai participar na falhada campanha do Rossilhão em 1793-1794. Partem 6 000 soldados portugueses para Catalunha (16 e 18 de Setembro).

Tropas britânicas desembarcam em Lisboa (Dezembro).

Exposição agrícola em Braga

Inauguração do Teatro de S. Carlos (30 de Junho).

 

 

Luigi Taparelli D'Azeglio (1793-1873).

 

Manuel António Coelho da  Rocha (1793-1850)

 

CondorcetSur le Sens du Mot Révolutionnaire.

 

William Godwin, Enquiry concerning Political Justice and his Influence on General Virtue and Happiness, Londres.

 

Johann Gottlieb FichteZuruck Forderung der Denkfreiheit.

 

Danzig, Cidade Livre de (Gdansk). Actual cidade polaca; esteve integrada na Prússia entre 1793 e 1919; nesta data voltou a cidade livre (tinha então 1 952 km2 e 400 000 habitantes); ocupada pelos alemães em 1939, foi integrada na Polónia em 1945

Mogúncia (em alemão Mainz;  em francês, Mayence). Um dos principados eclesiásticos, eleitores do Sacro Império, desde o século  XIII; esteve ocupado pelos suecos de 1631 a 1635; foi tomado pelos franceses em 1644, 1688 e 1792. Depois de conquistado pela Prússia em 1793, foi anexado pela França em 1797 até 1815; com  o Congresso de Viena, foi integrado no ducado de Hesse; anexado pela Prússia em 1866. O território esteve ocupado pelos franceses de 1918 a 1930; a partir de 1947 passou a ser a capital da Renânia-Palatinado; foi a terra natal de Gutenberg.

 

 


 

Guerra da Primeira Coligação contra a França (1793-1795) As guerras da Revolução Francesa que duram até à Paz de Amiens de 1802, produzem cerca de 663 000 mortos. Prússia, Áustria, Grã-Bretanha e Rússia contra a França.

Em Fevereiro de 1792 a Áustria e a Prússia fazem uma aliança defensiva; a Assembleia Legislativa francesa declara guerra à Áustria; vitória dos franceses em Valmy, em 20 de Setembro de 1792 ( segundo Goethe neste lugar e neste dia nasceu uma nova época na história do mundo; com efeito, a batalha foi insignificante, dado que num confronto entre 36 000 franceses e 34 000 prussianos, apenas morreram cerca de 500 pessoas; contudo, o exército francês, comandado por François Christophe Kellermann (1735-1820), de Estrasburgo, lançou o grito de Vive la Nation introduzindo o conceito de guerra nacional; os prussianos, sem serem batidos, comportaram-se como tal, quando se retiraram do campo de batalha)

Os franceses animados, tomaram a ofensiva e até 21 de Outubro vão conquistar duas possessões do rei da Sardenha: a Sabóia e o condado de Nice; seguem-se os bispados alemães da margem esquerda do Reno: Spire, Worms e Maiência; em 28 de Novembro, comandados por Dumouriez, já conquistam todos os Países Baixos austríacos

Em Fevereiro de 1793, a Inglaterra declara guerra à França e anima o nascimento da primeira coligação, numa guerra que vai durar de Março de 1783 a Outubro de 1797; numa primeira fase, até 1795, a França enfrenta uma coligação geral, mas depois da paz  com a Prússia, a Espanha e a Holanda, vai enfrentar apenas uma coligação parcial, comandada por ingleses a austríacos

Numa primeira fase, desde meados de Outubro de 1793 e durante sete meses a França vai sofrer uma série de derrotas: perde os Países-baixos do sul, em favor da Áustria, e a margem esquerda do Reno, a favor dos prussianos, depois do envio de uma força expedicionária britânica para a Holanda

A resposta do regime da convenção foi o estabelecimento da levée en masse pela requisição permanente de todos os franceses dos 18 aos 40 anos, o que levou à constituição de um exército de 750 000 homens; assim, em 1794, já a França consegue reocupar os Países Baixos do Sul e , em 1795, conquistar aquilo que virá a ser a República Batava;

As restantes potências da coligação parecem mais preocupar-se com a Polónia do que com aquilo que podia ocorrer nas margens e na foz do Reno; a Rússia da Catarina II, ao estacionar na Polónia, obriga a Áustria e a Prússia a uma deslocação de importantes efectivos para esse território; e assim se procede a novas partilhas da Polónia em 1793 e 1795

Estas partilhas que desagradam de tal maneira à Prússia que esta em 1795 trata de estabelecer com a França a Paz de Basileia, de 5 de Abril de 1795, que, por um lado, reconhecem a ocupçaão francesa da margem esquerda do Reno e fazem com  que a Prússia opte pela neutralidade até ao ano de 1806

Em 22 de Julho, também em Basileia era assinado um tratado com a Espanha

Ao mesmo tempo a França vai penetrando na Itália, ocupando o Piemonte-Sardenha em 1796 e obrigando o Império austríaco o Tratado de Campo Formio de 17 de Outubro de 1797.

Nesta se reconhece a ocupação  pela França  dos Países baixos do Sul  e da margem esquerda do Reno. Como compensação os Habsburgos passam a senhorear Veneza, que assim perde a independência, bem como a Lombardia e o Milanês; estas primeiras guerras levaram com efeito a que fossem reforçados os poderes da França e se mantivesse incólume a Grã-Bretanha que beneficia do facto da Holanda e da Espanha se terem posto ao lado da França;

Os holandeses, além de derrotados em Camperdown, em Outubro de 1797, vão perder grande parte das suas possessões coloniais nas Índias orientais e ocidentais: saem do Ceilão e de Malaca e perdem o Cabo da Boa Esperança.

Já os espanhóis perdem boa parte da sua esquadra depois de derrotados na Batalha do cabo de S. Vicente em Fevereiro de 1797; os franceses ocupam a Bélgica, o principado eclesiástico de Liège, Nice, Sabóia e a Renânia; os ingleses, governados por William Pitt jr. entram na guerra; os franceses ocupam a margem esquerda do Reno, a Holanda e a Suíça;

A Holanda transforma-se na República Batava; a Bélgica é anexada à França, a partir de Outubro de 1795; a Espanha conclui também uma paz separada com a França; dá-se nova partilha da Polónia entre a Áustria, a Rússia e a Prússia; a Áustria e a Inglaterra continuam a guerra com a França; começa a campanha de Itália de Napoleão, em 1796; em 1797, os franceses, depois de expulsarem os austríacos da Itália, já marcham sobre Viena

 

© Editado por José Adelino Maltez em Dili, Universidade Nacional de Timor Leste, ano de 2008

 

Última revisão:15-02-2009