© José Adelino Maltez, Crónica do Pensamento Político, editada em Dili, na ilha do nascer do sol, finais de 2008

 

 

1355: Morte de Inês de Castro

 

 

 

 1350 1351 1352 1353 1354 1355  1356 1357 1358 1359 1360

 

Século XIII  Linha do Tempo    Século XV

 João II, le Bon, rei de França (1350-1364)

 

Carlos III, o Mau, rei de Navarra (1349-1387)

 

Eduardo III, rei de Inglaterra  (1327-1377)

 

Valdemar IV, rei da Dinamarca (1340-1375)

Stephan Uros V  czar dos Sérvios (1355-1371). 

 

Orkhan I, sultão otomano (1326-1359)

João V, Imperador do Oriente (1341-1376)

Ivan II, príncipe de Moscovo (1353-1359).

Papa Inocêncio VI (1352-1362)

Carlos IV, do Luxemburgo (1346-1378)

Joana I, rainha de Nápoles (1343-1382)

Marino Falieri, doge de Veneza (1354-1355)

Frederico III, o Simples (1355-1377), rei de Aragão e da Sicília.

Luís I, o Grande, de Anjou, rei da Hungria (1342-1382)

Casimiro III, o Grande, rei da Polónia (1333-1370)

Recomeça a guerra entre a Inglaterra e a França.

Étienne Marcel (1315-1358), chefe da burguesia parisiense.

 

Frederico III, o Simples (1355-1377), rei de Aragão e da Sicília.

Desintegração do império sérvio, depois da morte do czar Dusan.

  

Sucede-lhe Stephan Uros V (1355-1371). 

 

 Reinado de D. Afonso IV

D. Inês de Castro é degolada em Coimbra, nos paços de Santa Clara, por Diogo Lopes Pacheco, Álvaro Gonçalves e Pêro Coelho  (7 de Janeiro). A intenção política era evitar envolvimento familiar na guerra civil feudal de Castela, onde os Castros eram apoiantes de Pedro I.

Reacção militar de D. Pedro. As hostilidades terminam com o acordo de Canaveses (5 de Agosto). A paz é estabelecida e D. Pedro passa a co-governar. O mediador é o arcebispo de Braga, D. Gonçalo Pereira.

Nova desvalorização da moeda, em cerca de 33%. Sucessão de más colheitas, bem como a guerra civil, provocam nova crise de fome.

Sismo em Coimbra  
 
 

© Editado por José Adelino Maltez em Dili, Universidade Nacional de Timor Leste, ano de 2008

 

Última revisão:15-02-2009