© José Adelino Maltez, Crónica do Pensamento Político, editada em Dili, na ilha do nascer do sol, finais de 2008

 

 

 

1547: Batalha de Muhlberg, czar na Rússia e fundação do Colégio das Artes

 

 

1538 1539 1540 1541 1542 1543 1544 1545 1546 1547   1548 1549 1550

 

Século XV Linha do Tempo Século XVII

  Francisco I, Valois, rei de França (1515-1547)

 

Henrique VIII, Tudor, rei de Inglaterra (1509-1547).

 

Segismundo ou Zygmunt I, o Velho, Jagelão, rei da Polónia (1506-1548)

 

 

Papa Paulo III (1534-1549)

 

Carlos I de Espanha, imperador do Sacro Império (como Carlos V); rei de Aragão a partir de 1516; regente de Castela em nome da mãe entre 1516 e 1555 e rei de jure entre 1555 e 1556; unifica as duas coroas e torna-se o primeiro rei de Espanha (1555-1556)

 

Carlos V lança uma ofensiva contra a Liga, vencendo em Muhlberg (24 de Abril).

Dieta de Augsburgo (Setembro).

Ruptura entre Carlos V e o papa Paulo III.

Maurício, duque do Saxe desde 1541, é feito eleitor. Até 1553. Aliado de Carlos V.

Imperador e Sultão chegam a acordo. O primeiro contenta-se com o controlo da parte ocidental da Hungria, mas em troca de um grande tributo anual.

Morte de Henrique VIII (28 de Janeiro). Sucede-lhe Eduardo VI (1547-1553), filho de Joana Seymour, quando se funda a Igreja Anglicana.

O Conselho de Regência é dominado por Edward Seymour, duque de Somerset, tio de Joana, mãe de Eduardo VI.

Escoceses derrotados pelos ingleses.

 

Morte de Francisco I (31 de Março), sucedendo-lhe Henrique II, Valois*, como rei de França (1547-1559), casado com Catarina de Medicis. 

Ivan IV é coroado, assumindo o título de czar. 

 

 Reinado de D. João III

Nomeação de Pedro Nunes como cosmógrafo-mor.

Fundação do Colégio das Artes de Coimbra, com André de Gouveia  Em 1565 será entregue aos Jesuítas 

Nova bula do Papa Paulo III, Meditatio Cordis nostri, sobre o funcionamento da inquisição, de acordo com o modelo espanhol (16 de Julho). A criação do Santo Ofício é assim autorizada, depois de um longo processo, desencadeado em 1531, quando se iniciaram conversações em Roma para o estabelecimento da Inquisição em Portugal.

Tratado de paz entre D. João III e o rei de Fez. (25 de Junho)

D. Diogo, rei do Congo, tenta colocar o seu país na directa dependência do Papa. D. João III decide mandar para o Congo os jesuítas.

D. Diogo de Meneses conquista a cidade de baroche, na costa de Cambaia.

D. João de Castro, depois de reconstruir a fortaleza de Diu, regressa a Goa, sendo nomeado como 4º vice-rei da Índia.

 
Cervantes (1547-1616)

Justus Lipsius (1547-1606)ö1591.

Domingo de Soto, De natura et gratia,  Veneza.

Publicação de Prohibição dos livros defesos, o primeiro Índice de livros proibidos pela Inquisição (28 de Outubro). Cerca de 160 obras.

Francisco de Morais, Palmeirim de Inglaterra. Edição castelhana. Aparece em português em 1567. Retoma um primeiro Palmeirim de Oliva, de Castela, do ano de 1511.

Álvaro da Fonseca, reitor da Universidade de Paris.

John Knox começa a sua pregação protestante.  
Em 1547, um funcionário chinês, Lam Hei-Yuen, refere, sobre Macau: os portugueses não invadiram as nossas fronteiras, não mataram a nossa gente, não nos roubaram e os chineses desejam comerciar com eles. Talvez a partir de 1549, segundo cronistas chineses, se tenham começado a fixar portugueses nessa foz do Rio das Pérolas. Mas só em 1557 é que Leonel de Sousa obtém das autoridades chinesas permissão para o efeito. E por lá vão vivendo 900 almas, sem chefe nem lei especial. Em 1563 chegam os três primeiros jesuítas; em 1568 surge a primeira cerca muralhada; no ano seguinte, já com 5 000 almas surge uma misericórdia e um hospital; em 1571, a primeira escola; em 1573, a primeira fronteira, a porta do limite ou do Cerco; em 1576, já temos bispado. Só depois vem o rei. Que em 1580 envia o primeiro ouvidor e em 1583 institui um Senado, ao mesmo tempo que a povoação passa a cidade que em 1584 passa a depender do Vice-rei da Índia. Depois, em 1585, vendo os moradores ... ir a povoação em grande crescimento sem nela haver nenhum modo de Câmara nem governo no ano de 1585 se ajuntaram e com o parecer do Bispo e Capitão de terra ordenarão que Macau se pozesse em ordem de governo, como as cidades do Reino, e do Estado da Índia e conforme a ordenação elegerão juízes e vereadores, Procurador da Cidade e Escrivão da Câmara. Aí temos em como um assentamento feito comunidade precede o governo. Onde a assembleia está antes do executivo. Onde o concelho é anterior à câmara. O poder distante apenas conforma aquilo a que localmente já se dera matéria.

© Editado por José Adelino Maltez em Dili, Universidade Nacional de Timor Leste, ano de 2008

 

Última revisão:15-02-2009