© José Adelino Maltez, Crónica do Pensamento Político, editada em Dili, na ilha do nascer do sol, finais de 2008

 

 

1662: Conde de Castelo Melhor

 

 

 

1660 1661 1662   1663 1664 1665 1667 1668 1669 1670

 

Século XVI Linha do Tempo Século XVIII

 

 Luís XIV, rei de França

 

Carlos II Stuart, rei inglês (1660-1685)

 

Leopoldo I Habsburgo  (1658-1705)

 
 

 

Carlos II vende Dunquerque a Luís XIV; a França conclui no mesmo ano uma aliança defensiva com as Províncias Unidas.

O antigo líder parlamentar Henry Vane é decapitado (14 de Junho).

Revolta no Bolonhês (Maio a Julho). Esmagada em 11 de Julho em Hucqueliers.

O São Bartolomeu dos Puritanos. Perseguição aos puritanos na Inglaterra (26 de Agosto). Exclusão de todos os pastores que não se submetessem à autoridade dos bispos.

Carlos II funda a Royal Society em Londres (15 de Julho).

Reforma cisterciense de La Trappe.

Motim popular na Andaluzia, por causa da fome e da alta dos preços.

Motim popular em Moscovo. Agitado pelo cisma dos velhos crentes e contra a alta dos preços.

 

Dunquerque (em flamengo Dunkerk). Actual cidade francesa; pertenceu à Flandres, integrada na Borgonha e, depois, nos Países Baixos espanhóis; ocupada várias vezes pela França nos séculos XVI e XVII, foi dominada pelos ingleses entre 1658 e 1662; nesta data, Luís XIV comprou-a a Carlos II, passando a integrar a França até à actualidade 

Reinado de D. Afonso VI. Regência de D. Luiza de Gusmão

Novo ataque espanhol a Portugal por D. João de Áustria. Toma Vila Boim e Borba (Maio). Cerca e ocupa a Juromenha, passeia pelo Alentejo e regressa a Badjoz (11 de Julho). O governador de armas do Alentejo é o conde de Cantanhede, estacionado em Estremoz.

 

Reinado de D. Afonso VI. Governo de Castelo Melhor

 

Golpe de Estado em Portugal. Para afastar D. Luísa de Gusmão da regência e entregar o governo a Luís de Vasconcelos e Sousa, 3º Conde de Castelo Melhor*, como gentil-homem da câmara do rei, assumindo António de Sousa Macedo o lugar de Secretário de Estado (23 de Junho).

Castelo Melhor é nomeado escrivão da puridade (21 de Julho).

Casamento de Dona Catarina de Bragança com Carlos II de Inglaterra. (30 de Maio)

D. Catarina é recebida em Londres (2 de Setembro).

Instruções para D. Francisco Manuel de Melo passar à Cúria Pontifícia. (27 de Outubro)

Ratificação do Tratado de paz entre Portugal e os Estados Gerais das Províncias Unidas. (4 de Novembro)

Macau vai viver graves crises, especialmente no século XVII. Em primeiro lugar, refiram-se os sucessivos assédios da política de corso dos holandeses, com ataques à cidade em 1601, 1604 e 1610, até ao combate de 24 de Junho de 1622, quando os residentes de Macau obtiveram uma definitiva vitória sobre essa pressão. Ficarão, no entanto, nefastas consequências quanto a uma das principais fontes de rendimento da cidade, o comércio com o Japão, principalmente a relação entre Macau e Nagasaqui, que, por intrigas dos holandeses é suspenso a partir de 1610 e cortado em 1639. Segue-se, em 1641, a conquista de Malaca pelos mesmos, desaparecendo a tradicional intermediação com Goa. 
D. Luís da Cunha (1662-1749)ö1747.

Pascal morre em Port Royal (19 de Agosto), deixando incompleto um trabalho sobre a defesa da crença cristã, os Pensées

Retz faz as pazes com Luís XIV, resigna do cargo de arcebispo de Paris e começa a escrever as suas Memórias que apenas são publicadas em 1702.

Comenius, De rerum humanarum emendatione consultatio catholica. 
 

© Editado por José Adelino Maltez em Dili, Universidade Nacional de Timor Leste, ano de 2008

 

Última revisão:15-02-2009