1952

D

 

Cosmopolis

© José Adelino Maltez, História do Presente, 2006

Citações

 

Da ideia de CED à eleição de Eisenhower O ano de 1952, é marcado pela entrada em vigor da CECA (25 de Julho), com Jean Monnet a assumir a presidência da Alta-Autoridade (10 de Agosto). Dá-se também o começo do reinado de Isabel II (06 de Fevereiro), surgindo a primeira bomba atómica britânica (03 de Outubro). Segue-se a eleição de Dwight Eisenhower como presidente norte-americano (04 de Novembro), derrotando o democrata Adlai Stevenson. A Europa, en face son destin (Bonnefous), pensando que a Guerra da Coreia se insere num plano mais vasto do estalinismo para domínio do Ocidente, ensaia uma engenharia global de defesa, visando a criação de umas forças armadas europeias, através do rearmamento alemão. Assim, é assinado em Paris um Tratado instituindo uma Comunidade Europeia de Defesa (27 de Maio), no dia seguinte à subscrição dos Acordos de Bona que visam pôr fim ao regime de ocupação alemã. Ao mesmo tempo, surge, a partir da assembleia parlamentar da CECA, e, muito praeter legem, uma assembleia ad hoc (22 de Setembro), com os 78 parlamentares da mesma, mais nove membros da Assembleia Consultiva do Conselho da Europa, tendo como missão a elaboração de um projecto de constituição de uma Comunidade Política Europeia. Enquanto isto, dá-se a primeira reunião do Tribunal de Justiça da CECA (10 de Dezembro). Contudo, fracassam as conversações entre Paris e Bona que visam a europeização do Sarre (25 de Outubro) e começam as primeiras críticas francesas ao processo, com Édouard Herriot, no congresso das radicais a levantar resistências à criação de um exército europeu (17 de Outubro). Enquanto isto, o ministro britânico Anthony Eden apresenta na Assembleia Consultiva um plano (30 de Setembro), segundo o qual as comunidades supra-nacionais, criadas ou a criar, teriam de inserir-se no âmbito do Conselho da Europa. Entretanto a CECA começa a mover-se, com a primeira reunião do Conselho, presidida por Adenauer (08 de Setembro) e da Assembleia comum, instalada em Estrasburgo, sob a presidência do socialista belga, Paul-Henri Spaak (10 de Setembro). A NATO alarga-se à Grécia e à Turquia (18 de Fevereiro) e, na reunião do Conselho do Atlântico realizada em Lisboa (22 a 25 de Fevereiro), deixa de ser um mero Tratado e transforma-se numa organização permanente, com a sede em Paris.

A Guerra da Coreia – Em 25 de Junho de 1950 os norte-coreanos lançam o ataque a Sul do paralelo 38º. Vagas de voluntários chineses apoiam o avanço que atinge Seul. Defesa do Sul por tropas das Nações Unidas comandadas pelo general norte-americano Douglas MacArthur. Armistício assinado em 27 de Julho de 1953. Mais de três milhões de mortos e feridos para uma guerra que ninguém vence, dado que todos voltam ao status quo ante bellum. As consequências são sobretudo políticas, levando, no plano europeu, ao rearmamento da República Federal da Alemanha e ao reforço da NATO. A França é autorizada a combater os vietnamitas em nome do anticomunismo. O Japão beneficia economicamente com o processo. A China fica isolada do resto do mundo. Os ocidentais temem que o conflito seja peça de um mais vasto plano de extensão do comunismo ao mundo, não querendo notar que a intervenção de Mao e de Estaline no conflito apenas se deu depois de se desencadear a ofensiva de Kim Il Sung.

De Galbraith à New Science of Politics – No plano das ideias, no ano da morte de Croce, Dewey, Maurras, Santayana e Teixeira de Pascoaes, quando, entre nós, se estabelece a obrigatoriedade do ensino primário, o professor de Harvard John Kenneth Galbraith teoriza o American Capitalism, analisando o conceito de poder compensador (countervailling power) e Claude Lévi-Strauss (1908) lança, pela UNESCO, Race et Histoire. Galbraith, analisando a concentração económica crescente do capitalismo americano, gerador de grandes monopólios privados, considera que, face a esse poder económico privado, surge o poder compensador dos que estão submetidos a esse poder, nomeadamente o de grupos com poder de veto, como, por exemplo, as associações de consumidores. O conceito tem a ver com ideia de contrapesos, originária de Montesquieu, com a faculté d’empêcher, típica do modelo de checks and balances, expresso por James Madison, onde se proclamava o equilíbrio das facções como essencial para a democracia. Já J. L. Talmon em The Rise of Totalitarian Democracy, invocando aquela nova forma de opressão diversa do despotismo e da tirania, profetizada por Tocqueville, estuda as origens do messianismo político do século XVIII e o improviso jacobino, colocando Rousseau como o mestre da democracia totalitária, juntamente com Robespierre, Saint-Just e Babeuf. Destaca-se também a edição de The New Science of Politics, de Eric Voegelin, onde propõe  uma nova ciência da política, em pleno auge daquele behaviorismo que teria transformado a ciência política num instrumento do poder e numa apologia dos seus princípios. Faz-se um ataque cerrado ao peso da herança positivista que teria feito deslocar o esforço científico da teoria para o método, quando importava voltar à consciência dos princípios, a uma ciência cristã e clássica do homem que teria sido prevertida por quatro super-homens, o progressista de Condorcet, o positivista de Comte, o materialista de Marx e o dionisíaco de Nietzsche. Por cá, assinale-se a obra de propaganda salazarista da autoria do maurrasiano francês, Jacques Ploncard d'Assac, O Pensamento Político de Salazar¸bem como a conferência de Marcello Caetano na Faculdade de Direito de Lisboa sobre A Legitimidade dos Governos e a Doutrina Cristã, proferida em 17 de Maio.

 
 
 
 
 

À volta do mundo:

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Ideias

 

Livros:

 
 
 
 
1952

Do fim do racionamento ao I Plano de Fomento

Da ideia de CED à eleição de Eisenhower ä Começo do reinado de Isabel II ä Fim do regime de ocupação da Alemanha Ocidental ä Primeira bomba atómica britânica ä Morte de Evita Perón

De Galbraith à New Science of Politics

M Conspiração de Galvão ä Acção estudantil contra a NATO /Greves (Maio)

 

1

D

 

Cosmopolis

© José Adelino Maltez, História do Presente, 2006

Citações

 
 
 
 
 
 

À volta do mundo:

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Ideias

 

Livros:

 
 
 
 

 

 

 

 


1952
 

 

1952
Da ideia da CED à eleição de Eisenhower

Da ideia de CED à eleição de Eisenhower

O ano de 1952, é marcado pela entrada em vigor da CECA (25 de Julho), com Jean Monnet a assumir a presidência da Alta-Autoridade (10 de Agosto). Dá-se também o começo do reinado de Isabel II (06 de Fevereiro), surgindo a primeira bomba atómica britânica (03 de Outubro). Segue-se a eleição de Dwight Eisenhower como presidente norte-americano (04 de Novembro), derrotando o democrata Adlai Stevenson. A Europa, en face son destin (Bonnefous), pensando que a Guerra da Coreia se insere num plano mais vasto do estalinismo para domínio do Ocidente, ensaia uma engenharia global de defesa, visando a criação de umas forças armadas europeias, através do rearmamento alemão. Assim, é assinado em Paris um Tratado instituindo uma Comunidade Europeia de Defesa (27 de Maio), no dia seguinte à subscrição dos Acordos de Bona que visam pôr fim ao regime de ocupação alemã. Ao mesmo tempo, surge, a partir da assembleia parlamentar da CECA, e, muito praeter legem, uma assembleia ad hoc (22 de Setembro), com os 78 parlamentares da mesma, mais nove membros da Assembleia Consultiva do Conselho da Europa, tendo como missão a elaboração de um projecto de constituição de uma Comunidade Política Europeia. Enquanto isto, dá-se a primeira reunião do Tribunal de Justiça da CECA (10 de Dezembro).

Contudo, fracassam as conversações entre Paris e Bona que visam a europeização do Sarre (25 de Outubro) e começam as primeiras críticas francesas ao processo, com Édouard Herriot, no congresso das radicais a levantar resistências à criação de um exército europeu (17 de Outubro). Enquanto isto, o ministro britânico Anthony Eden apresenta na Assembleia Consultiva um plano (30 de Setembro), segundo o qual as comunidades supra-nacionais, criadas ou a criar, teriam de inserir-se no âmbito do Conselho da Europa. Entretanto a CECA começa a mover-se, com a primeira reunião do Conselho, presidida por Adenauer (08 de Setembro) e da Assembleia comum, instalada em Estrasburgo, sob a presidência do socialista belga, Paul-Henri Spaak (10 de Setembro). A NATO alarga-se à Grécia e à Turquia (18 de Fevereiro) e, na reunião do Conselho do Atlântico realizada em Lisboa (22 a 25 de Fevereiro), deixa de ser um mero Tratado e transforma-se numa organização permanente, com a sede em Paris.

A Guerra da Coreia

Em 25 de Junho de 1950 os norte-coreanos lançam o ataque a Sul do paralelo 38º. Vagas de voluntários chineses apoiam o avanço que atinge Seul.

Defesa do Sul por tropas das Nações Unidas comandadas pelo general norte-americano Douglas MacArthur.

Armistício assinado em 27 de Julho de 1953.

Mais de três milhões de mortos e feridos para uma guerra que ninguém vence, dado que todos voltam ao status quo ante bellum.

As consequências são sobretudo políticas, levando, no plano europeu, ao rearmamento da República Federal da Alemanha e ao reforço da NATO.

A França é autorizada a combater os vietnamitas em nome do anticomunismo.

O Japão beneficia economicamente com o processo.

A China fica isolada do resto do mundo.

Os ocidentais temem que o conflito seja peça de um mais vasto plano de extensão do comunismo ao mundo, não querendo notar que a intervenção de Mao e de Estaline no conflito apenas se deu depois de se desencadear a ofensiva de Kim Il Sung.

The Rise of Totalitarian Democracy

[1952] ä Talmon, J. L Obra onde se analisa a origem do totalitarismo, a partir dos primeiros modelos do democratismo jacobino. Dividida em três partes: as origens do messianismo político no século XVIII (Helvetius, Holbach, Rousseau, Morelly e Mably); a improvisação jacobina; a democracia de Babeuf.

Invocando aquela nova forma de opressão diversa do despotismo e da tirania, profetizada por Tocqueville, estuda as origens di messianismo político do século XVIII e o improviso jacobino.

Coloca Rousseau como o mestre da democracia totalitária, juntamente com Robespierre, Saint-Just e Babeuf.

New Science of Politics

Expressão de Eric Voegelin, de 1952, pela qual se propõe  uma nova ciência da política, em pleno auge do behaviorismo que teria transformado a ciência política num instrumento do poder e numa apologia dos seus princípios. Faz-se um ataque cerrado ao peso da herança positivista que teria feito deslocar o esforço científico da teoria para o método, quando importava voltar à consciência dos princípios, a uma ciência cristã e clássica do homem que teria sido prevertida por quatro super-homens, o progressista de Condorcet, o positivista de Comte, o materialista de Marx e o dionisíaco de Nietzsche

The American Capitalism

Countervailling power Poder compensador. Conceito cunhado por J. K. Galbraith, em The American Capitalism, de 1952. Analisando a concentração económica crescente do capitalismo americano, gerador de grandes monopólios privados, considera que, face a esse poder económico privado, surge o poder compensador dos que estão submetidos a esse poder, nomeadamente o de grupos com poder de veto, como, por exemplo, as associações de consumidores. O conceito tem a ver com ideia de contrapesos, originária de Montesquieu, com a faculté d’empêcher, típica do modelo de checks and balances, expresso por James Madison, onde se proclamava o equilíbrio das facções como essencial para a democracia.

Structure and Function in Primitive Society

Obra de Alfred Reginald Radcliffe-Brown que está na origem do estruturo‑funcionalismo (structural‑functional analysis). Considera que "a função social de um uso particular é a contribuição que ele traz à vida social considerada como o conjunto do funcionamento do sistema social. Esta definição pressupõe um sistema... tem uma certa unidade que devemos chamar unidade funcional". A estrutura é um "acordo de pessoas que têm entre elas relações institucionalmente controladas ou definidas, tais como as relações do rei com os seus súbditos ou as do marido e da mulher". Considera que "a realidade concreta é, não uma entidade, mas um processo, o processo da vida social. O processo em si mesmo consiste num imenso número de acções e interacções de seres humanos agindo como individuos ou em combinações ou grupos... Os componentes ou unidades da estrutura social são pessoas, e uma pessoa é um ser humano, considerado não como um organismo, mas ocupando uma posição na estrutura social". Salienta expressamente que "quando se lida com um sistema estrutural, trata‑se de um sistema de posições sociais, ao passo que na organização estamos em presença dum sistema de papéis sociais". Isto é, a função passa a ser vista em termos teleológicos como a contribuição que uma actividade parcial oferece à actividade total da qual é parte. (cfr. trad. fr. Structure et Fonction dans la

Structure and Function in Primitive Society

Londres, Cohen and West, 1952. Cfr. trad. fr. Structure et Fonction dans la Societé primitive, Paris, Éditions de Minuit,1968.

Mensário 1952

\
O rearmamento alemão

Fevereiro
Britânicos vendo a Europa de fora

Março
Gaullismo entra no sistema da IV República

Abril
Nacionais-revolucionários na Bolívia

Maio
A ilusão da CED

Junho
Plano Schuman desce ao terreno

Julho
A CECA entre Spaak e Monnet

Agosto
O mês de Zatopek

Setembro
A ilusão de uma comunidade política europeia

Outubro
Britânicos no clube nuclear

Novembro
A ascensão de Eisenhower

Dezembro
Europa à procura de um passo em frente

Janeiro
O rearmamento alemão

Bundestag ratifica o Plano Schuman (11 de Janeiro)

Novo governo belga social-cristão, presidido por Jan Van Houtte* (15 de Janeiro

Governo alemão aprova a criação de umas forças armadas (Janeiro)

Campanha dos Wu Fan na China, no primeiro semestre

França

Em França, depois da queda do governo de René Pleven (8 de Janeiro), sucede-lhe o do radical-socialista Edgar Faure (1908-1988), em 20 de Janeiro de 1952, com a abstenção de gaullistas e comunistas, mantendo-se Robert Schuman nos estrangeiros e passando Georges Bidault para a defesa. Quarenta dias depois, novo gabinete, de Antoine Pinay (6 de Março), continuando Schuman, mas aparecendo Pleven na defesa, com a primeira experiência liberal de centro-direita, apoiada por alguns dissidentes gaullistas, que terminará com a falta de apoio do MRP (23 de Dezembro).

Na Grécia, com o novo rei Paulo I (1947-1964), nas eleições de Novembro de 1952, vence a União Helénica, fundada em1951, levando à chefia do governo o marechal Alexandro Papagos, que aí se mantém até à morte, em1955, quando lhe sucede o correlegionário Konstantinos Karamanlis, de 1955 a1963.

Estaline propõe a reunificação alemã em troca de um regime de neutralidade (Março)

} XIX Congresso do PCUS (Outubro) XIX (1952) Outubro. Cai o suplemento bolchevique na denominação do partido. O politburo transforma-se em praesidium. Último congresso de Estaline, depois da Segunda Guerra Mundial e o avanço soviético no mundo, em plena Guerra Fria. A URSS é proclamada como centro de todas as forças no campo da paz e da democracia. Ratificação do plano quinquenal de 1951-1955 que previa um aumento de 70% na produção industrial.

Guerra da Coreia

Em 25 de Junho de 1950 os norte-coreanos lançam o ataque a Sul do paralelo 38º. Vagas de voluntários chineses apoiam o avanço que atinge Seul. Defesa do Sul por tropas das Nações Unidas comandadas pelo general norte-americano Douglas MacArthur. Armistício assinado em 27 de Julho de 1953. Mais de três milhões de mortos e feridos para uma guerra que ninguém venceu, dado que todos voltaram ao statu quo ante bellum. As consequências foram sobretudo políticas. No plano europeu levou ao rearmamento da República Federal da Alemanha e ao reforço da NATO. A França foi autorizada a combater os vietnamitas em nome do anticomunismo. O Japão beneficia economicamente com o processo. A China fica isolada do resto do mundo.

Durante o ano há graves incidentes na Tunísia e em Julho, um golpe de Estado abole a monarquia no Egipto, promovido pelo grupo dos oficiais livres, criado em 1942, sob a liderança do general Neguib e onde também se integra Nasser.

Em África, inicia-se a insurreição dos mau mau no Quénia (20 de Outubro), num processo independentista, desencadeado a patir de 1925, quando se funda a Kikuyyu Central Association, de que Kenyatta (1893-1978) se tornou secretário-geral a partir de 1928, alargando a sua influência quando em1947 fundou a KANU (Kenya African Union). As autoridades britânicas que o acusam de conduzir a revolta, vão levar a cabo uma feroz repressão que leva a cerca de 40 000 mortos.

Surge a obra The Origins of Totalitarianism, de Hannah Arendt, inicialmente intitulada The Burden of our Time, constituída por três estudos separados: «Sobre o Anti-Semitismo», «O Imperialismo» e «O Sistema Totalitário». Aí se considera que o anti-semitismo não é apenas o ódio aos judeus, que o imperialismo não é apenas a conquista e que o totalitarismo não se reduz à ditadura. O manuscrito original foi terminado em1949, começando a ser elaborado em 1945.

Eric Voegelin Propõe uma nova ciência da política, em pleno auge do behaviorismo que transformara a ciência política num instrumento do poder e numa apologia dos seus princípios. Lança um ataque cerrado ao peso da herança positivista, que fizera deslocar o esforço científico da teoria para o método, quando importava voltar à consciência dos princípios a uma ciência cristã e clássica do homem que fôra prevertida por quatro super-homens, o progressista de Condorcet, o positivista de Comte, o materialista de Marx e o dionisíaco de Nietzsche.

 

 

©  José Adelino Maltez, História do Presente (2006)

© José Adelino Maltez. Cópias autorizadas, desde que indicada a origem. Última revisão em: 29-04-2009