1974
 


Junho
Thorn sobe ao poder no Luxemburgo

 

 

Gaston Thorn forma governo de centro-esquerda no Luxemburgo (15 de Junho)

Conselho do Atlântico em Otava chega a acordo quanto a flexíveis mecanismos de cooperação política (19 de Junho)

CIP Criação da Confederação da Indústria Portuguesa, o principal órgão do associativismo patronal (1 de Junho).

O ódio – Declarações controversas de Pereira de Moura em Bragança sobre quem é fascista. O ministro, sem gravata, responde: aqueles que começam a dizer ao estudante, aos jovens estudantes, que têm de se submeter à autoridade. Virgílio Ferreira chama-lhe um demagogo grosseiro (10 de Junho).

A esperança – Profundamente enraizado no chão nativo, e orgulhosamente fiel à condição da origem, sempre a lição dos livros, a dialéctica dos teóricos e a eloquência dos tribunos pesaram muito menos no meu critério do que a sabedoria ancestral do comunitarismo agrário e pastoril que me corre nas veias, defendendo soluções originais, específicas, em que estejam empenhados o nosso temperamento, a nossa tradição municipalista, a nossa cultura, e seja devidamente considerado e aproveitado o nosso condicionalismo geográfico e étnico (Miguel Torga em comício do PS, em 2 de Junho de 1974).

Spínola e a JSN têm reunião na Manutenção Militar com o MFA. Presidente pede voto de confiança para a condução do processo de descolonização e autorização para se assumir como intérprete do MFA. Ataques de Vasco Gonçalves. Não lhe sendo conferidos os votos de confiança, Spínola, que está acompanhado pelos ministros Sá Carneiro e Vieira de Almeida, abandona a reunião, bastante agastado (13 de Junho).

Spínola encontra-se com Nixon nos Açores (19 de Junho).

 

 

 

Janeiro Fevereiro Março
Abril Maio Junho
Julho Agosto Setembro
Outubro Novembro Dezembro
    Portugal

 

©  José Adelino Maltez, História do Presente (2006)

© José Adelino Maltez. Cópias autorizadas, desde que indicada a origem. Última revisão em: