1974
 

Março
Wilson no governo de Londres

 

 

Harold Wilson sobe ao poder no Reino Unido, substituindo Heath (5 de Março). Callaghan na pasta dos estrangeiros.

Fim da greve dos mineiros britânicos e levantado o estado de emergência (11 de Março)

Novo governo de Mariano Rumor em Itália, de centro-esquerda. O quinto sob a mesma presidência (14 de Março)

Senghor, no Senegal, liberta vários prisioneiros políticos, entre os quais o antigo chefe do governo Mamadou Dia (26 de Março)

Eleições na Bélgica; recuo dos partidos federalistas, pequena subida dos sociais-cristãos (10 de Março). Leo Tindemans* forma governo de coligação entre sociais-cristãos e liberais.

 

Rebenta granada de mão em Lamego (14 de Março).

O presidente do conselho vai ao Estádio José de Alvalade assistir ao jogo Sporting-Benfica, sendo ovacionado pela multidão (31 de Março).

Incidentes no Instituto Superior de Economia, escola então dirigida pelo antigo ministro de Salazar, Gonçalves Proença , e que vai ser encerrada.

Remodelação do Governo. Mário Oliveira, ministro de Estado. Mota Campos, ministro da agricultura e do comércio. Daniel Barbosa ministro da indústria e energia. Entram como subsecretários de Estado, Alberto Xavier (Plano) e Miguel Pupo Correia (transportes e comunicações), ligados ao grupo de Diogo Freitas do Amaral (15 de Março). Integrarão também o Centro de Estudos Sociais e Políticos da ANP, dirigido por Silva Pinto, que também mobiliza Duarte Ivo Cruz, Mário Quartin Graça, Lucena e Vale e João Maria Oliveira Martins, bem como Adelino Amaro da Costa. Américo Tomás observa que Marcello mais uma vezimpressão de tactear, na busca do que não se consegue encontrar.

Emitido o segundo comunicado do Movimento dos Capitães, quando Spínola fala com Carlos Azeredo e se dá novo almoço de Tomás em Pedrouços (18 de Março).

Última reunião da Comissão Coordenadora do Movimento dos Oficiais das Forças Armadas. Marcado golpe para a semana de 20 a 27 de Abril (24 de Março).

Sob o título de I Encontro da Canção Portuguesa, surge, no Coliseu dos Recreios, um festival da chamada música de intervenção ou da canção de protesto contra o regime, que termina com todos os intervenientes a entoar o Grândola, vila morena (29 de Março).

Golpe das Caldas. Sublevação do Regimento de Infantaria 5. Detidos duzentos militares. Uma anedota diz então: Lisboa é uma cidade virgem. O das Caldas não consegue entrar... Os sublevados rendem-se ao brigadeiro Serrano segundo comandante da Região Militar de Tomar, brigadeiro Pedro Serrano. Paradela de Abreu, o editor de Portugal e o Futuro, demite-se de director da editorial Arcádia (16 de Março).

 

 

 

Janeiro Fevereiro Março
Abril Maio Junho
Julho Agosto Setembro
Outubro Novembro Dezembro
    Portugal

 

©  José Adelino Maltez, História do Presente (2006)

© José Adelino Maltez. Cópias autorizadas, desde que indicada a origem. Última revisão em: