1957
 

Fevereiro
Opus Dei no governo de Espanha e Gromiko ministro da URSS

 


 

Acordo entre os seis em Bruxelas para a redução progressiva das barreiras aduaneiras e o estabelecimento de uma pauta aduaneira comum durante o período transitório do mercado comum, bem como sobre a composição da Assembleia parlamentar da CEE (4 de Fevereiro)

A OECE enceta negociações para a criação de uma zona de comércio livre (13 de Fevereiro)

Termina em Matignon a elaboração dos tratados instituidores da CEE e da CEEA (19-20 de Fevereiro)

Luís Somoza é eleito presidente da Nicarágua pelo Partido Liberal (3 de Fevereiro)

Gromiko ministro dos estrangeiros da URSS. Vai conservar tal posto até1985 (15 de Fevereiro)

Em Espanha, uma remodelação governamental faz subir ao poder a ala tecnocrática ligada ao Opus Dei; Fernando Maria Castiella, ministro dos estrangeiros (25 de Fevereiro)

Kishi Nobusuke, novo chefe do governo do Japão (25 de Fevereiro). Defende um programa de remilitarização e de restauração da soberania imperial

No Zanzibar instituiu-se em Fevereiro o Partido Afro-Shirazi, que estabeleceu um programa independentista adversário do domínio da minoria árabe, que os britânicos protegiam.

 

 

Janeiro Fevereiro Março
Abril Maio Junho
Julho Agosto Setembro
Outubro Novembro Dezembro

Ver síntese do ano

©  José Adelino Maltez, História do Presente (2006)

© José Adelino Maltez. Cópias autorizadas, desde que indicada a origem. Última revisão em: