Respublica     Repertório Português de Ciência Política         Edição electrónica 2004


<<||Home|1974-Hoje|1926-1974|1910-1926 
Políticos Portugueses da Monarquia Constitucional (1820-1910)
A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M|N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

 

Ega, Conde da. Aires Saldanha. Filho de Manuel Saldanha e Albuquerque, o primeiro conde da Ega, vice-rei da Índia, morto em 1771. Membro da Junta do Três Estados em 1808. Chefe do partido dos fidalgos apoiantes de Junot e inspirador de uma súplica dirigida a Napoleão onde se sugere a ascensão de Junot ao trono português.

 

 

Enes Júnior, António José (1848-1901)Formado no Curso Superior de Letras. Jornalista, fundador de O Dia. Defende em 1870 uns Estados Unidos da Europa, temendo que Portugal seja absorvido pela Espanha. Membro do partido histórico. Maçon. Deputado em 1880, 1884, 1887 e 1890. Bibliotecário-mor da Biblioteca Nacional em 1886. Ministro da marinha e ultramar na primeira fase do governo extrapartidário de João Crisóstomo de 14 de Outubro de 1890 a 25 de Maio de 1891, onde lhe sucedeu Júlio de Vilhena. Comissário régio em Moçambique em 1891. Embaixador no Brasil. Traduz a História Universal de Cesare Cantu.

·A Guerra e a Democracia. Considerações sobre a Situação Política da Europa

Lisboa, J. G. de Sousa Neves, 1870.

Francisco de Assis de oliveira martins, OUltimatum Visto por António Ennes, Lisboa, 1946

 

 

Espregueira, Manuel Afonso Engenheiro de pontes e calçadas, administrador dos caminhos de ferro. Ministro da fazenda de José Luciano de 18 de Agosto de 1898 a 26 de Junho de 1900. Ministro da fazenda de José Luciano, de 20 de Outubro de 1904 a 27 de Dezembro de 1905. Ministro da fazenda do governo de Ferreira do Amaral, de 4 de Fevereiro a 25 de Dezembro de 1908.

 

 

Estefânia, Rainha D.  (1837-1859) Princesa católica alemã, da família Hohenzollern-Sigmaringen que casa com D. Pedro V em 1858. Chega a Lisboa em 17 de Maio de 1858. Morre em 17 de Julho de 1859, catorze meses depois da sua chegada a Portugal, com um ataque de difteria.

 

 

Estevão Coelho de Magalhães, José (1809-1862)Participa no batalhão académico de 1828, comandado por Refoios. Emigra para a Galiza e Inglaterra.  Mindeleiro. Formado em direito em 1836. Activista da Associação Cívica ou Associação Eleitoral Setembrista de 1838. Membro da Constituinte de 1837. Membro do grupo dos arsenalistas. Opositor do Cabralismo. Fundou a Revolução de Setembro em 1840. Catedrático de economia política na Politécnica em 1842. Defendeu contra o crime de abuso de liberdade de imprensa o jornal miguelista Portugal Velho em 1843. Activista da revolta de Torres Novas em 1844 e da Patuleia em 1846, colaborando aqui directamente com Sá da Bandeira. Redige o programa da Associação Eleitoral Setembrista em Outubro de 1847. Participou na criação dos primeiros grupos republicanos em 1848. Cria uma comissão revolucionária antiCabralista em Maio de 1848, juntamente com Oliveira Marreca e Rodrigues Sampaio, donde surgirá a Carbonária Portuguesa. Intervenção anticlerical na questão das Irmãs da Caridade em 1858. Idem na questão da barca Charles et George em 1859. Apoiante de Fontes. Em Março de 1862 é eleito grão-mestre da Confederação Maçónica Portuguesa. Fundou O Distrito de Aveiro. Ver Obra Política, edição de José Tengarrinha, 2 vols., Lisboa, 1963. Segundo Oliveira Martins, foi o primeiro, talvez o único, dos tenores sinceros da liberdade portuguesa.

 

© José Adelino Maltez. Todos os direitos reservados. Cópias autorizadas, desde que indicada a proveniência: Página profissional de José Adelino Maltez ( http://maltez.info). Última revisão em: 20-12-2003